Ignis: O mini-SUV citadino da Suzuki

PorExpresso das Ilhas,10 out 2018 9:27

A ‘febre’ dos SUV já chegou até aos carros de dimensões mais reduzidas. Pequenos citadinos que se acham verdadeiros todo-o-terreno já circulam nas estradas. E há um que sobressai com uma postura irreverente e um design atraente: eis o Suzuki Ignis, o novo miúdo no bairro da moda dos SUV.

Pequeno, compacto, o Ignis chegou para disputar o mercado do segmento A, o dos utilitários e citadinos.

Redesenhado de alto a baixo, nada deste novo modelo da Suzuki faz lembrar o seu antecessor.

Com um visual mais atrevido e ao mesmo tempo cativante, o novo Ignis abre-se à personalização, oferece espaço interior para viajar com os amigos ou a família, e reúne outros atributos que só os elementos de espírito aventureiro possuem, nomeadamente uma maior altura ao solo, sistemas de duas e quatro rodas motrizes, a par de motores pequenos e razoavelmente espevitados.

Comecemos pela versão base, o 1.2 GLX com motorização Dualjet de 90 cavalos. Com uma estética cativante na dianteira e um certo ar de crossover, o pequeno Ignis só desilude talvez na traseira.

O motor cumpre tudo o que promete e aquilo que está indicado na ficha técnica é o que, realmente, é disponibilizado e, sejamos realistas, um citadino com 90cv chega e sobra para a utilização do dia-a-dia.

O comprimento de apenas 3,7 metros permite-lhe ser também uma excelente opção para trajectos onde o destino não é abundante em estacionamentos espaçosos. Com 855 kg é leve o suficiente para manter consumos baixos.

No interior o Ignis é simples, mas agradável, com aplicações lacadas e elementos bem montados ainda que a qualidade não seja ao nível, por exemplo, do novo Swift.

Apesar das dimensões do Ignis a marca conseguiu incluir um sistema que permite avançar ou recuar os bancos traseiros conferindo um pouco mais de versatilidade (e espaço). E isto num modelo que até consegue oferecer uma bagageira de 260 litros de capacidade.

A versão GLX é muito bem equipada e já conta com um ecrã táctil de 7 polegadas, sistema de navegação, câmara de estacionamento traseira, conexão MirrorLink, entre muitos outros.

 	A segurança é outro dos pontos fortes. Destaque para as duas câmaras que controlam a distância entre o veículo e outros objectos e fazem a leitura das linhas da faixa de rodagem. Este avançado sistema, que analisa a forma dos objectos, de modo a reconhecer se se trata de outro veículo ou peões, pode exercer funções distintas de assistência à travagem, aviso de saída de faixa e alerta de ziguezagueio.

Graças a um leque muito variado de cores e a uma ampla gama de acessórios, a personalização é outras das possibilidades que oferece a nova geração do Suzuki Ignis.

Depois há a versão AllGrip. Uma versão todo-o-terreno que surpreende, não pela sua capacidade em estrada que é igual à do seu ‘irmão’, mas sim pelo performance fora de estrada onde promete dar cartas num mercado onde apenas o Panda da Fiat era uma proposta válida.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,10 out 2018 9:27

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  18 out 2018 3:23

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site