Jean-Claude Juncker e Boris Johnson com encontro marcado

PorExpresso das Ilhas, Lusa,13 set 2019 16:11

Boris Johnson
Boris Johnson

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, vão encontrar-se na segunda-feira, no Luxemburgo, para um almoço de trabalho, foi hoje anunciado.

O almoço de trabalho de segunda-feira, anunciado hoje pela porta-voz do executivo comunitário Natasha Bertaud, será o primeiro encontro entre Juncker e Johnson desde que o britânico assumiu a liderança do Governo britânico, em Julho.

A reunião, da qual não foram avançados mais detalhes, acontece a um mês e meio da data agendada para a saída do Reino Unido da União Europeia e num momento em que as negociações entre Bruxelas e Londres estão num impasse.

Na quinta-feira, o negociador-chefe comunitário, Michel Barnier, admitiu, diante da Conferência de Presidentes do Parlamento Europeu, não ter “razões para estar optimista” sobre a perspectiva de um acordo com o Reino Unido ser alcançado até meados de Outubro.

Bruxelas tem-se mostrado aberta a debater qualquer proposta apresentada por Londres, desde que esta respeite as directrizes negociadoras da União Europeia e seja “legal e viável”, incluindo eventuais novas soluções para o mecanismo de salvaguarda, comummente conhecido por ‘backstop’, desenhado para evitar o regresso de uma fronteira física na ilha da Irlanda.

Contudo, Barnier transmitiu à Conferência de Presidentes da assembleia europeia que, até este momento, o Governo britânico não apresentou qualquer nova proposta.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, tem-se manifestado convicto de que é possível conseguir alterações ao Acordo de Saída firmado em Novembro por Bruxelas e a sua antecessora, Theresa May, nomeadamente substituir o ‘backstop’, e obter um acordo até ao Conselho Europeu de 17 e 18 de Outubro.

“Estou com muitas esperanças de que vamos conseguir um acordo nessa cimeira crucial. Estamos a trabalhar muito”, garantiu na manhã de quinta-feira.

Se não conseguir um acordo até 19 de Outubro, nem conseguir autorização do parlamento para uma saída sem acordo, terá de cumprir a lei promulgada na segunda-feira que obriga o governo a pedir um adiamento da saída por três meses, até 31 de Janeiro.

Os restantes 27 Estados membros da UE têm depois de concordar unanimemente com uma extensão do processo.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,13 set 2019 16:11

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  21 set 2019 14:19

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.