Autoridades espanholas temem reactivação da rota das Canárias

PorExpresso das Ilhas,9 jan 2020 14:40

Depois de quase ter sido totalmente abandonada pelos migrantes africanos que procuravam chegar à Europa, a rota das Canária dá sinais de estar a ser ‘reactivada’. Hoje, 63 migrantes a bordo de duas embarcações chegaram a Fuerteventura e Grã Canária, disseram as autoridades espanholas.

Segundo as autoridades espanholas, citadas pela agência Lusa, a bordo da primeira embarcação, uma barcaça de madeira, foram encontradas 56 pessoas: 41 homens, 10 mulheres, uma das quais grávida, e cinco crianças.

Ainda de acordo com as autoridades espanholas a segunda embarcação — uma lancha de borracha — foi detectada pela Guardia Civil quando se encontrava a cerca de três quilómetros ao largo de Tarajalillo, município de San Bartolomé, sul da Grã Canária.

Os serviços de Salvamento Marítimo rebocaram a lancha onde se encontravam sete ocupantes.

Estes são apenas os dois casos mais recentes daquilo que as autoridades espanholas pensam ser a reactivação das Canárias como forma de acesso dos migrantes, na sua maioria da África subsaariana, à Europa.

De recordar que a 5 Dezembro do ano passado 63 pessoas morreram ao largo da Mauritânia quando a embarcação em que seguiam rumo às Canárias naufragou nas águas do Atlântico ao largo de Nuadibú (470 quilómetros a norte de Nouakchott), na Mauritânia.

Entre os falecidos havia pelo menos uma criança e sete mulheres. Os outros 83 ocupantes dessa embarcação conseguiram sobreviver ao naufrágio nadando até à costa da Mauritânia.

Passados dois dias, a Guarda Costeira da Mauritânia capturou uma outra embarcação, que tinha também como destino as Canárias, onde viajavam 192 pessoas todas naturais da Gâmbia. O grupo, onde se incluíam onze mulheres e duas crianças, foi capturado a 330 quilómetros a norte de Nouakchott.

Nos primeiros nove dias de 2020 chegaram às Canárias, a bordo de embarcações precárias, 294 pessoas, duas das quais morreram por motivos de saúde.

Em Novembro do ano passado uma embarcação foi encontrada ao largo da cidade das Pombas, Santo Antão, com os corpos de seis homens a bordo. Inicialmente pensou-se que pudessem ser pescadores senegaleses que tinham sido dados como desaparecidos, mas o jornal Le Soleil, do Senegal, afastou essa possibilidade dizendo que a embarcação encontrada no mar ao largo do Paul teria partido da Mauritânia.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,9 jan 2020 14:40

Editado porAndre Amaral  em  30 set 2020 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.