Cabo Verde adere a rede mundial de defesa dos direitos LGBTI

PorExpresso das Ilhas, Lusa,27 mar 2018 11:55

Cabo Verde aderiu hoje, em Washington, Estados Unidos da América, à rede mundial de defesa dos direitos das pessoas lésbicas, 'gays', transexuais, bissexuais e intersexuais (LGTBI), juntando-se aos 35 países que integram a "Equal Rights Coalition".

A adesão foi formalizada pela presidente do Instituto Cabo-verdiano para a Igualdade e Equidade de Género, Rosana Almeida.

A "Equal Rights Coalition" (Coligação dos Direitos Iguais) foi criada em 2016, durante a conferência mundial sobre direitos das pessoas LGBTI, no Uruguai.

A rede, que integra também Portugal, tem como objectivo promover o respeito universal pelos direitos humanos e pelas liberdades fundamentais para todos, com um foco particular na protecção dos direitos fundamentais das pessoas lésbicas, gays, transexuais, bissexuais e intersexuais (LGTBI).

"Cabo Verde foi convidado a fazer parte desta coligação que atua, essencialmente, ao nível diplomático, promovendo o desenvolvimento inclusivo através de acções conjuntas e em colaboração com a sociedade civil e organizações multilaterais", adianta, em nota, o governo cabo-verdiano.

Argentina, Áustria, Austrália, Alemanha, África do Sul, Bélgica, Canadá, Chile, Costa Rica, República Checa, Equador, Eslovénia, Espanha, Estados Unidos da América, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Honduras, Itália, Israel, Lituânia, Malta, México, Montenegro, Nova Zelândia, Noruega, Países Baixos, Portugal, Reino Unido, Sérvia, Suécia, Suíça, Ucrânia e Uruguai são os países que integram a rede. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,27 mar 2018 11:55

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  21 nov 2018 3:23

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.