ICIEG quer mais arguidos de VBG nos programas de reinserção social

PorAilson Martins, Rádio Morabeza,30 abr 2018 12:06

Cerca de sessenta por cento das comarcas de Cabo Verde foram abrangidas pelo Programa de Acompanhamento e Reinserção dos Arguidos de Violência Baseada no Género, disse hoje a Directora-Geral de Serviços Prisionais e Reinserção Social.

Júlia Reis falava aos jornalistas, no âmbito da apresentação do ateliê de socialização dos resultados da avaliação do Programa de Acompanhamento e Reinserção dos Arguidos de Violência Baseada no Género. Segundo a responsável, durante o programa houve vários grupos reflectivos nas ilhas, salvo a ilha do Maio mas avança que o programa tem tido um impacto positivo.

"Nos já tivemos casos de sucesso de arguidos que passaram pelo programa e, que no fundo acaba por ser uma terapia quase que globais, não só na problemática da VBG mas acabam por fazer uma terapia integral. Nós pensamos que a partir de agora vamos sim ter melhores ferramentas para intervenção. Nos trabalhamos com cerca de trezentos e cinquenta arguidos", explica.

Trezentos e cinquenta arguidos estiveram inseridos do programa. A Presidente do Instituto Cabo-verdiano para Igualdade e Equidade do Género (ICIEG) Rosana Almeida, reclama do baixo número de arguidos que foram reencaminhados para os serviços de reinserção social.

"O que não nos satisfaz é o facto de muito poucos, apenas quinze por cento dos detidos, serem reencaminhados para os serviços de reinserção Social, algo que vamos reagir rapidamente no sentido de superar e trabalhar para uma melhor articulação com vista a menos VBG e menos casos de reincidência possível", avança.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Ailson Martins, Rádio Morabeza,30 abr 2018 12:06

Editado porAndre Amaral  em  13 nov 2018 3:23

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.