Equipa de investigação acredita que crianças desaparecidas "estão vivas"

PorLusa,10 mai 2018 14:42

O Procurador-Geral da República de Cabo Verde, Óscar Tavares, disse hoje que o mais recente relatório da equipa especial de investigação sobre desaparecimento de crianças em Cabo Verde revela "sinais" de que estarão vivas.

"Há avanços do ponto de vista da investigação, mas infelizmente ainda não conseguimos o objectivo de recuperar as crianças. Acreditamos que as crianças estejam com vida e possam ser devolvidas às famílias", disse Óscar Tavares.

O Procurador-Geral da República falava aos jornalistas, na cidade da Praia, à margem da conferência "Criminalidade Organizada", promovida para assinalar os 25 anos da Polícia Judiciária.

Óscar Tavares explicou que recebeu, na quarta-feira, o mais recente relatório da equipa conjunta da Polícia Judiciária e Polícia Nacional, coordenada pelo Ministério Público, para investigar o desaparecimento de crianças.

Desde Novembro desapareceram, na cidade da Praia, três crianças com idades entre os 09 e os 11 anos, estando ainda desaparecida uma jovem de 19 anos e o seu filho recém-nascido, casos que geraram alarme social no país e sem qualquer explicação até ao momento.

"Acreditamos neste quadro pelas informações que são transmitidas e constam do relatório. A equipa transmite a confiança de que estão a trabalhar no limite das possibilidades para que possam libertar as crianças, confiando que estejam ainda vivas", disse.

Óscar Tavares escusou-se, no entanto, a adiantar se as crianças estarão ainda no país.

"Não sabemos. Estamos a partilhar as informações do ponto de vista internacional, a utilizar a rede da Interpol e todos os apoios da cooperação e, neste momento, com a possibilidade de uma equipa de investigadores internacionais poder auxiliar-nos no terreno", disse.

O magistrado disse ainda que, neste momento, foram já excluídas algumas linhas de investigação e suspeitos, estando a investigação mais "afunilada" num sentido, escusando-se, no entanto, a confirmar se essa linha é o tráfico internacional de pessoas.

Óscar Tavares adiantou que a investigação ao desaparecimento de crianças é "uma prioridade" e que a equipa está a "trabalhar arduamente com a cooperação internacional para, num tempo que esperemos não seja muito longo, resolver esta questão".

A equipa conjunta de investigação é composta por dois magistrados do Ministério Público, três elementos da Polícia Judiciária e dois da Polícia Nacional e foi criada depois do desaparecimento, em Fevereiro, de duas crianças, um rapaz de 09 anos e uma rapariga de 11, do bairro de Achada Limpo, arredores da cidade da Praia.

Desde 14 de Novembro, encontrava-se desaparecida outra rapariga de 10 anos, residente no bairro Eugénio Lima, e desde agosto uma jovem de 19 anos e o seu filho recém-nascido.

Até ao momento as diligências das autoridades não tiveram sucesso na localização de qualquer dos desaparecidos.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lusa,10 mai 2018 14:42

Editado porAndre Amaral  em  14 nov 2018 3:23

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.