​Tarrafal de Monte Trigo com mais um barco de pesca

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,10 set 2018 16:05

A localidade de Tarrafal de Monte Trigo, no interior do concelho de Porto Novo, Santo Antão, conta com mais uma embarcação de pesca semi-industrial. Trata-se de uma iniciativa do empresário local João Crisóstomo, que pretende empregar 18 chefes de família.

O investidor explica que o barco vai servir a comunidade e tentar reduzir o nível de desemprego elevado no seio dos pescadores.

“É um sector que, neste momento, deixa muita falta a Tarrafal de Monte Trigo, onde há muitos jovens pescadores desempregados, o que me fez investir na área. Com este barco, vamos dar trabalho a 18 famílias, mas em Tarrafal de Monte Trigo 70% dos jovens pescadores estão desempregados”, afirma.

A embarcação, de nome “Ponta de Tun”,  custou cerca de 25 mil contos, tem 15 metros de cumprimento e deve começar a operar dentro de dias. Este é o terceiro barco de pesca semi-industrial privado naquela zona piscatória.

Também a associação dos pescadores local tem em mãos, há mais de três anos, um projecto de aquisição de um navio de pesca semi-industrial, mas até agora ainda não conseguiu qualquer financiamento, como recorda Isaires Pires, líder associativo. 

“O projecto já tem mais de três anos e é sempre a mesmo coisa. Há dias, por exemplo, o secretário de Estado esteve em Tarrafal de Monte Trigo e disse que nos ajudava na embarcação, mas nada, nem um feedback. A Câmara Municipal também nunca chegou na associação para perguntar sobre os problemas da pesca na localidade”, diz.

“Também temos uma máquina de gelo que produz mais de 300 kg/dia, que não dá para nada, entre Tarrafal e Monte Trigo. É mesmo triste”, acrescenta.

O desemprego é um dos principais problemas que afecta a comunidade. Entre os mais de 90 pescadores, apenas cerca de 25 estão empregados.

Outra questão que condiciona o desenvolvimento da actividade pesqueira local prende-se com a deficiente condição de conservação de pescado, a par da necessidade de um cais de pesca. Quem o diz é o empresário João Crisóstomo.

“Neste momento, em Tarrafal, temos falta de um pequeno cais. Há uma fábrica, cuja construção nunca foi concluída. Também temos falta de uma máquina de gelo em condições que pudesse abastecer os barcos do Tarrafal e de Monte Trigo e os botes de pesca, porque mesmo os botes, às vezes, têm que ir para São Vicente buscar gelo”, aponta.

Os profissionais do sector alertam que a pesca em embarcações de boca aberta está a desaparecer. A associação dos pescadores acredita que a aquisição de mais uma embarcação semi-industrial, por parte da associação, ajudaria a resolver “muitos problemas da comunidade”, onde existe um dos maiores bancos de pesca do país.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,10 set 2018 16:05

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  16 nov 2018 3:23

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.