Agente da PN encontrado em Assomada pode ter morrido de “causas naturais”

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,20 nov 2019 20:26

1

​O agente da Polícia Nacional (PN) José Luís Correia, de 42 anos, que foi encontrado morto, na manhã desta quarta-feira, poderá ter morrido de “causas naturais”, diz a PN. Comunicado da Polícia Judiciária (PJ) confirma que não foram encontrados indícios de "uso de qualquer arma de fogo ou arma branca".

“Há forte hipótese de a morte do nosso colega ser de causas naturais. Todavia, aguardamos o resultado da autópsia”, disse, em conferência de imprensa, em Assomada, o comandante regional da PN de Santiago Norte, Estêvão Tavares Vaz, citado pela Inforpress.

Na ocasião, o comandante confirmou que o corpo do malogrado, que foi encontrado , na manhã desta quarta-feira, num terreno agrícola, no bairro de Chão dos Santos, em Assomada, Santa Catarina (Santiago), foi levantado por volta das 14h00 pelas autoridades. O corpo foi posteriormente encaminhado para a Cidade da Praia para a realização da autópsia, mas, no entanto, não avançou quando é que a mesma vai estar pronta.

Em nome da corporação, Estêvão Tavares Vaz endereçou condolências à família enlutada, informando que a corporação policial local está de luto e sofre a perda deste colega, mas assegurou que vão continuar a trabalhar, com coragem, para garantir a segurança do município do interior de Santiago.

Nesse sentido, tendo em conta que Santa Catarina comemora o Dia do Município e Santa Padroeira, assinalado a 25 de Novembro, este responsável tranquilizou a população, tendo avançado que a PN já tem um plano para as festividades  de comemoração do 185 anos do município.

O agente José Luís Correia Neves pertencia à Esquadra Policial de Santa Catarina e, de momento, prestava serviço no posto policial de Ribeira da Barca.

Mais conhecido por Carateca, por praticar karaté, tem uma escola dedicada à esta arte marcial denominada Centro Pedagógico de Karaté-DO, na cidade de Assomada.

Natural do município de São Lourenço dos Órgãos, é lá onde, conforme informações de um irmão, citadas pela agência de notícias nacional, vai ser enterrado após o corpo ser liberado. O policial deixa três filhos e a esposa.

Nem arma de fogo, nem arma branca

Entretanto, em nota de imprensa enviada à imprensa, a Polícia Judiciária informa que "que diligências preliminares feitas no local não apontam no sentido de uso de qualquer arma de fogo ou arma branca".

O caso, contudo, segue sob investigação, comprometendo-se a PJ a actualizar informações, "logo que possível". A breve nota adianta que a autópsia deverá ocorrer esta quinta-feira, sendo que após a sua realização as causas da morte "serão conhecidas".

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,20 nov 2019 20:26

Editado porSara Almeida  em  10 ago 2020 23:21

1

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.