Detido agente da PN suspeito de assassinar o colega Hamilton Morais

PorExpresso das Ilhas,22 nov 2019 18:59

1

A Polícia Judiciária deteve, esta sexta-feira, um agente da Polícia Nacional, suspeito do homicídio, ocorrido no passado dia 29 de Outubro, no bairro de Tira Chapéu, na cidade da Praia, cuja vítima foi o agente da Polícia Nacional, Hamilton Morais.

A Polícia Judiciária anunciou ter detido, fora de flagrante delito, um indivíduo do sexo masculino, de 37 anos, agente da Polícia Nacional, que é suspeito de  ser o autor material do crime de homicídio que vitimou o agente da PN Hamilton Morais. O nome do suspeito detido não foi revelado. 

A operação foi realizada pela Secção Central de Investigação de Crimes Contra Pessoas (SCICCP) –, na sequência do cumprimento de um mandado do Ministério Público.

Ainda de acordo com o comunicado, divulgado esta sexta ao final do dia, o detido será presente, este sábado, 23, às autoridades judiciárias competentes, para efeito do primeiro interrogatório judicial de arguido detido e aplicação de medidas de coação pessoal.

Esta detenção vem dar razão aos rumores de que o agente Hamilton Morais teria sido vítima de "fogo amigo", ou seja, que o disparo que o vitimou tinha origem em arma da Polícia Nacional.

Na noite de dia 29 de Outubro, o piquete da PN tinha sido chamado para responder a uma ocorrência no bairro de Tira Chapéu, na capital. Durante essa acção, o agente Hamilton Morais foi atingido mortalmente por um tiro.

Na altura, a PN comunicou, de imediato, haver dois suspeitos. “No local, ao se aperceberem da presença policial, os suspeitos puseram-se em fuga e, imediatamente, foram perseguidos, resultando dali disparo de armas de fogo, que terá atingido o agente de primeira classe Hamilton Morais, que foi socorrido imediatamente pelos colegas e transportado para o Hospital Agostinho Neto, onde viria a falecer, momentos depois", lê-se no comunicado da PN .

Nas horas seguintes, a mesma força policial anunciou que o autor do disparo já estaria identificado tratando-se de um homem com antecedentes criminais e que já tinha estado preso na cadeia de São Martinho.  O referido suspeito foi detido. Contudo, este seria liberado no mesmo dia pela Polícia Judiciária, por não haver provas que seria o autor do crime.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,22 nov 2019 18:59

Editado porSara Almeida  em  12 ago 2020 23:21

1

pub.

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.