Vigilantes realizam greve de três dias

PorSheilla Ribeiro,17 set 2020 11:42

Os vigilantes das empresas de segurança privada em Cabo Verde pretendem realizar, de 21 a 23 de Setembro, uma greve devido à não implementação da grelha salarial.

O presidente do Sindicato Nacional de Agentes de Segurança Pública e Privada, Serviços, Agricultura, Pesca e Afins, Manuel Barros, avançou hoje, em conferência de imprensa, que os vigilantes vão partir para greve depois de dois dias de negociação com a Direcção Geral do Trabalho (DGT).

“Depois de intensa negociação, de dois dias na DGT, tanto a directora geral do Trabalho, como as empresas reconheceram que a nossa luta é justa. Que os vigilantes merecem ganhar mais”, afirmou.

De acordo com o sindicalista, os vigilantes estão a espera desde 2004. Em 2017, prosseguiu, foi assinado um acordo colectivo para vigorar em 2018, mas que até agora não foi implementado. No acordo consta o aumento salarial, que fixa o salário mínimo em 17.500$00 e máximo em 22 mil escudos, na maioria das ilhas, excepto Boa Vista e Sal, onde o valor é maior.

“Não houve nenhuma resposta positiva, depois houve mais promessas das entidades através da Associação das Empresas de Segurança Privada, que em Janeiro de 2020 seria possível a sua implementação. Até este momento, os vigilantes não têm nada de positivo. Nem a ANESP, nem as empresas estão a fazer algo para ver se a situação se normalize”, acusou.

Por isso, o sindicato vai partir para a greve, embora, quer a DGT quer as empresas “considerem que não é o momento para tal”.

A greve, de acordo com Manuel Barros, será a nível nacional.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,17 set 2020 11:42

Editado porSara Almeida  em  18 set 2020 9:56

pub.
pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.