Covid-19: Cabo Verde negoceia com Banco Mundial financiamento para vacinar população

PorExpresso das Ilhas, Lusa,6 out 2020 9:25

O Governo de Cabo Verde está a negociar com o Banco Mundial um crédito adicional para reforçar em 2021 o sector da Saúde e comprar as futuras vacinas contra a covid-19, de até nove milhões de euros.

A informação consta de um dos documentos de suporte à proposta de lei do Orçamento do Estado para 2021, que o Governo entregou na quinta-feira ao parlamento e que também prevê para o próximo ano a conclusão da “concessão” do futuro Hospital Nacional de Cabo Verde, descrito como um “desígnio” do país.

Segundo o documento, consultado hoje pela Lusa, o objectivo é que a infra-estrutura seja “uma referência nacional e internacional na região da África Ocidental, com elevados níveis de eficiência e em condições de sustentabilidade, em complementaridade e articulação com os hospitais existentes, em especial os hospitais centrais”.

O Governo prevê na proposta orçamental para o próximo ano, “após a conclusão das negociações com o Banco Mundial”, a disponibilização de um crédito de 500 a 1.000 milhões de escudos para “reforço estrutural ao sector da saúde e aquisição de vacinas contra a covid-19 para todos os cabo-verdianos”.

No último censo em Cabo Verde, realizado em 2010, a população residente no arquipélago então contabilizada foi de 491.875 pessoas, mas a estimativa actual aproxima-se dos 600 mil.

Cabo Verde registava em 05 de Outubro um acumulado de 6.443 casos de covid-19 diagnosticados desde 19 de Março, com 68 mortos.

A proposta de Orçamento do Estado para 2021 ascende a 77.896 milhões de escudos (706,4 milhões de euros), o que corresponde a um aumento de 27,3 milhões de euros em relação ao Orçamento rectificativo ainda em vigor, elaborado devido à crise provocada pela pandemia.

“Nunca o Estado foi chamado a intervir como hoje. E a intervenção do Estado significa gastar”, sustentou o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, depois de entregar na quinta-feira a proposta orçamental no parlamento, indicando a saúde, educação, protecção social e dos rendimentos, e apoio às empresas como algumas das áreas de maior investimento.

Depois de uma recessão histórica, entre 6,8% e 8,5% este ano, o ministro avançou que as previsões apontam para um crescimento económico no próximo ano de 4,5%, mas só se o país conseguir controlar a pandemia e se se verificar um desconfinamento em todo o mundo.

Para o próximo ano económico, o Governo cabo-verdiano prevê ainda uma inflação de 1,2%, défice orçamental de 8,8%, uma taxa de desemprego a reduzir de 19,2% para 17,2% e uma dívida pública de 145,9% do Produto Interno Bruto.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e trinta mil mortos e mais de 35,2 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,6 out 2020 9:25

Editado porAndre Amaral  em  29 nov 2020 23:21

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.