Lourenço Lopes afirma que órgãos privados de comunicação também merecem atenção por parte do Estado

PorSheilla Ribeiro,17 jun 2021 14:51

O secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro, Lourenço Lopes, afirmou hoje que os órgãos privados de comunicação prestam serviço público e como tal devem merecer também uma atenção por parte do Estado.

Lourenço Lopes fez esta afirmação ao Expresso das Ilhas, durante uma visita realizada esta quinta-feira à esta instituição.

“Temos realizado um conjunto de visitas aos órgãos públicos e privados para ouvir os profissionais da comunicação social, os responsáveis por esses órgãos para depois tomarmos as melhores medidas do ponto de vista estratégico”, começou por dizer.

“Hoje já estive com o jornal A Nação, agora no Expresso das Ilhas que é um jornal que este ano completa 20 anos de vida e que tem prestado um contributo inestimável para o desenvolvimento do sector da comunicação social, para o aprofundamento da liberdade de imprensa em Cabo Verde e nós entendemos que também os órgãos privados de comunicação prestam um serviço Público e como tal devem merecer também uma atenção por parte do Estado.

O secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro, que responde pela área da comunicação social referiu que há um conjunto de matérias que merecerão a atenção do estado e que em diálogo constante com os privados serão tomadas as melhores soluções e citou a revisão do quadro de incentivos existente neste momento e a questão da publicidade institucional que está “praticamente focada” nos órgãos públicos.

“Nós entendemos que os órgãos privados de comunicação devem também ter acesso mais alargado a publicidade das instituições públicas; a questão de transporte dos jornais e das revistas. Há aqui um conjunto de preocupações que merecerão a nossa atenção porque nós entendemos que em articulação com os órgãos privados de comunicação vamos ter um programa estruturado que possa conduzir a uma maior sustentabilidade económica e financeira dos mesmos”, considerou.

O secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro  defendeu ainda que os órgãos privados de comunicação são importantes para o funcionamento da democracia, para o reforço da cidadania, uma melhor e mais rigorosa informação e um serviço público de qualidade aos cabo-verdianos nas ilhas mas também nas comunidades emigradas.

“Eu saio desse encontro no Expresso das Ilhas muito animado pelo esforço que os profissionais desta casa têm feito ao longo dos anos para termos um jornal todas as semanas e para termos uma imprensa privada ao serviço dos cidadãos, cada vez mais próxima dos cidadãos promovendo a cidadania, promovendo objectividade e a verdade e o pluralismo que deve existir”, reiterou.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,17 jun 2021 14:51

Editado porAntónio Monteiro  em  25 jan 2022 23:20

pub.

pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.