Cabo Verde cai 9 lugares no ranking da liberdade de imprensa

PorAndre Amaral,3 mai 2022 8:59

Novo ranking da liberdade de imprensa foi divulgado hoje, Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, pela ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF).

Com 75.37 pontos Cabo Verde desceu este ano do 27º lugar que tinha alcançado em 2021 para o 36º lugar do Ranking da Liberdade de Imprensa, anunciou hoje a RSF no relatório sobre a liberdade de imprensa a nível mundial.

“A liberdade de imprensa é garantida pela Constituição. No entanto, o Governo nomeia directamente os diretores dos ‘media’ estatais, que dominam a paisagem mediática”, escreve a RSF sobre a situação dos media em Cabo Verde.

Já no que respeita aos meios de comunicação privados, a RSF refere que "vêem o seu desenvolvimento limitado por um mercado publicitário restrito e pela ausência de subsídios aos operadores do audiovisual".

Aquela ONG sublinha que, ao contrário do que acontece na maioria dos outros países africanos, as mulheres representam 70% dos jornalistas em Cabo Verde.

No entanto, o reduzido tamanho das ilhas do arquipélago limita o desenvolvimento de jornalismo de investigação e, como muitas pessoas se conhecem, os jornalistas evitam muitas vezes pegar em assuntos que envolvam os seus conhecidos.

Embora nenhum jornalista tenha sido detido ou colocado sob vigilância devido à sua actividade, alguns profissionais de média privados dizem ter sido ameaçados após a publicação dos seus trabalhos.

Portugal, entre os países lusófonos, é o que alcança a melhor classificação (7º). Destaque igualmente para o crescimento de Timor Leste que da edição do ranking de 2021 para este ano subiu da 71ª posição para a 17ª.

Depois de Cabo Verde, terceiro entre os lusófonos, é a Guiné-Bissau que surge como o melhor classificado (92º lugar). Angola é 99º e o Brasil 110º. Moçambique é o pior classificado entre os países de língua oficial portuguesa ao ficar na 116º posição entre um total de 180 países analisados.

Ainda segundo os dados revelados pela RSF sobre a imprensa de língua portuguesa, Cabo Verde e Moçambique são os dois únicos países que perdem posições no ranking. Cabo Verde, como já foi referido, desce 9 lugares enquanto Moçambique perde oito posições.

A nível global os RSF apontaram para o desenvolvimento de meios de opinião, que imitam o modelo da rede norte-americana Fox News, e para a banalização dos circuitos de desinformação.

Estas práticas, "ampliadas pelo funcionamento das redes sociais", estão a conduzir ao crescimento da opinião pública fracturada e dividida, de acordo com o relatório.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,3 mai 2022 8:59

Editado porAndre Amaral  em  3 mai 2022 12:40

pub.
pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.