SINAPOL denuncia excesso de carga horária e falta de recursos humanos e materiais na Polícia Nacional

PorAilson Martins, Rádio Morabeza,29 set 2022 14:07

Conferência de Imprensa de SINAPOL
Conferência de Imprensa de SINAPOL Rádio Morabeza

Excesso de carga horária e falta de recursos humanos e materiais na Polícia Nacional são algumas das denúncias feitas esta manhã, em conferência de imprensa, pelo presidente do Sindicato Nacional da Polícia Nacional (SINAPOL).

José Barbosa, que falava na Praia, acrescenta que também existem outros compromissos e pendentes que o Governo deve respeitar.

“Mais uma vez, [vimos] denunciar a nossa insatisfação sobre aspectos laborais oportunos, que continuam sendo incómodos no seio da Polícia Nacional. Exemplo grave tem sido o excesso de carga horária. Não obstante a conjuntura actual, facto de enorme peso, ter beliscado de modo geral o processo normal de desenvolvimento do país, em particular todo o plano estratégico e operacional da PN, o funcionamento e desempenho das instituições policiais, prejudicando seguramente a eficácia e eficiência da Polícia Nacional, medidas profundas e corajosas se tornam cada vez mais urgentes e necessárias”, avançou.

O sindicalista apontou que o estado psicológico do pessoal operativo da Polícia Nacional é frágil e que a carga horária continua a ser excessiva. O abandono do exercício da profissão pode tornar-se uma realidade e deve merecer atenção especial.

"É sabido que, na Polícia Nacional, o direito à carga horária legal tem sido severamente violado, isto de Santo Antão à Brava, e já lá vão três anos que a Polícia Nacional não se viu contemplada com novos efectivos, com agravante dela ter vindo a perder anualmente números significativos. Sabe-se que vêm ocorrendo situações de trabalho sob condições lamentáveis, precaríssimas em várias unidades policiais, onde impera infracção flagrante dos direitos dos profissionais da polícia. Por esta razão, deve o Governo redobrar o seu investimento, acreditar na segurança interna, logo, na Polícia Nacional, sendo um pilar importante para o sucesso do país", afirma.

José Barbosa sublinha que o assunto já é do conhecimento da Direcção Nacional da Polícia Nacional e da tutela.

O presidente do SINAPOL diz ser lamentável que instituições públicas e privadas, sobretudo Câmaras Municipais, estejam a manipular de forma subtil os serviços da Polícia Nacional ao não pagarem os serviços extraordinários prestados, por exemplo, em festivais

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Ailson Martins, Rádio Morabeza,29 set 2022 14:07

Editado porAndre Amaral  em  31 jan 2023 23:28

pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.