João Lourenço confirma presença na cimeira da CPLP

PorNuno Andrade Ferreira,7 fev 2018 8:20

João Lourenço
João Lourenço

​O Presidente da República de Angola, João Lourenço, virá a Cabo Verde em Julho. O Chefe de Estado Angolano marcará presença na Cimeira da CPLP, que terá lugar no nosso país.

O convite a João Lourenço foi endereçado por Jorge Carlos Fonseca e entregue pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares, que está de visita àquele país lusófono.

A confirmação da presença de João Lourenço na XII Cimeira de chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países Portugueses foi comunicada ontem, pelo Presidente da República, na sua página de Facebook e pelo gabinete de Jorge Carlos Fonseca, em nota enviada às redacções.

Durante a reunião magna de Julho, Cabo Verde assumirá a presidência da CPLP, actualmente exercida pelo Brasil. No seu exercício, o país quer colocar a cultura no topo das prioridades, com a proposta de criação de um mercado lusófono de arte e cultura. Paralelamente, o governo já fez saber que espera “avanços concretos” em áreas como mobilidade, cidadania lusófona e promoção da língua portuguesa.

Cabo Verde e Portugal lideram, no seio da organização, os esforços para a criação de um espaço de livre circulação entre os países que falam português. Há pouco mais de uma semana, em São Vicente, o ministro dos Negócios estrangeiros português, Augusto Santos Silva, disse que espera contar com o apoio dos restantes estados membros à proposta luso-cabo-verdiana.

Essa proposta consiste na criação de autorizações de residência nos países-membros da comunidade lusófona, cujo critério determinante seja a nacionalidade.

“Isto significaria que os cabo-verdianos poderiam trabalhar, estudar, residir livremente em Portugal, os portugueses no Brasil, os brasileiros em Moçambique, os moçambicanos em São Tomé, os são-tomenses em Cabo Verde e por aí fora, por serem nacionais de um espaço comum, que é a CPLP”, comentou.

“Implica também o reconhecimento das habilitações académicas e qualificações profissionais recíproca e também a portabilidade dos direitos sociais”, acrescentou. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Nuno Andrade Ferreira,7 fev 2018 8:20

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  13 nov 2018 3:23

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.