Aumento da electricidade e água é culpa do Governo, diz UCID

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,9 mar 2018 12:44

Dora Pires e João Luís
Dora Pires e João Luís (Rádio Morabeza)

Com estranheza e preocupação. É desta forma que a UCID reage ao aumento das tarifas de água e electricidade. O partido culpa directamente o Governo, a quem acusa de falta de coragem para implementar medidas que impeçam os aumentos e façam baixar os preços.

João Luís, deputado da UCID, falava hoje em conferência de imprensa, em São Vicente.

“Infelizmente, é com muita estranheza e preocupação que a UCID ouve a notícia do aumento das tarifas de água e energia eléctrica no país. Do nosso ponto de vista, não justifica, de forma nenhuma, o aumento do custo de energia e água. A culpa aqui não é da Agência de Regulação Económica, mas sim do Governo que ainda não teve a coragem suficiente. Coloca as medidas no papel mas dali não saem e nós estranhamos esta posição”, diz.

O partido lembra que o país tem água e energia eléctrica das mais caras do mundo e estranha o aumento das tarifas, numa altura em que o Governo fala na protecção da indústria nacional.

“As justificações para o aumento do tarifário de energia eléctrica e água não são convincentes, numa altura em que o Governo fala na protecção da indústria nacional, tendo já iniciado a legislação para o efeito”, entende.

“No momento em que o poder de compra dos cabo-verdianos é muito fraco, o aumento de tarifas de água e energia eléctrica vem agravar, ainda mais, o custo de vida das famílias e das empresas cabo-verdianas”, alerta.

A UCID sugere algumas medidas que, no seu entender, contribuem para a redução do preço da água e electricidade, nomeadamente a revisão do contrato entre a Electra e a Cabeólica, a utilização de fuel 380 nas centrais do Palmarejo, na Praia, e da Palmeira, no Sal e a injecção de mais energia de fontes renováveis na rede pública, o que pressupõe o aumento da capacidade das centrais foto-voltaicas e eólicas.

A União Cabo-verdiana Independente e Democrática pede urgência na implementação das tarifas sociais de água e energia, conforme estipula o Orçamento de Estado para 2018, e o programa do Governo.

“Não estamos a exigir nada que não possa ser feito para o bem deste país”, considera João Luís. 

À Electra, o partido pede a adequação da política comercial da empresa, visando a redução do roubo de energia, com impacto directo nas perdas e, consequentemente, no preço ao consumidor. 

Recorde-se que a electricidade e água estão mais caras desde o início deste mês. Os aumentos verificam-se em todos os escalões, tanto na Electra, como na empresa Águas e Energia da Boa Vista.

As novas tarifas, fixadas pela Agência de Regulação Económica (ARE), ditam, ao nível da Electra, uma subida média de preços de 2,38% e 2,55% para electricidade e água, respectivamente.

Em relação à Águas e Energia da Boa Vista, os preços sofrem um aumento na tarifa média de 2,84% para electricidade e 0,85% para água.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,9 mar 2018 12:44

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  10 mar 2018 10:22

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.