​Joana Rosa não vê razões para manifestação no Maio

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,15 jun 2018 16:18

Joana Rosa
Joana Rosa

O MpD considera que a manifestação marcada para amanhã, na ilha do Maio, não tem razão de ser e está a ser movida por motivações políticas. A percepção é da deputada do partido no poder, Joana Rosa, em declarações, esta sexta-feira, à Rádio Morabeza.

A parlamentar, eleita pelo círculo do Maio, entende que na base do protesto estão “perturbações” devido ao “bom desempenho” da Câmara Municipal e aos anúncios de investimento do Governo para a ilha.

“Eu acho que esta manifestação tem motivações políticas, sim. O que está por detrás tem a ver com o bom desempenho da Câmara Municipal. Há um grupo que se candidatou, aquando das eleições autárquicas, que está a constatar, neste momento, o relançar, execuções de obras e requalificação de várias zonas, uma série de projectos em curso, e isso tem causado alguma perturbação a esse grupo”, diz à Morabeza.

“Também o próprio anúncio do Governo em relação a construção, para breve, da rampa [roll on/roll off] também tem criado algum desconforto para esse grupo”, entende.

O grupo União Maiense agendou a manifestação para amanhã, exigindo, sobretudo, a resolução do problema de acessibilidade, uma das promessas de campanha do Governo do MpD.

Joana Rosa diz que não há razão para a população sair à rua, relembrando vários investimentos previstos para a ilha. A eleita refere-se à construção da rampa roll on/roll off, já com financiamento garantido, além da construção de um aeroporto internacional na ilha, um projecto que consta do programa do Governo. Também diz que em relação a acessibilidade “já há sinais”.

“O Maio é uma ilha que tem merecido muita atenção deste Governo. Por isso, reafirmo que a população do Maio não tem razão para, neste momento, estar a manifestar, sendo, no entanto, um direito e nós respeitamos”, realça.

A deputada lembra a situação difícil encontrada a nível da ligação marítima e aérea e evacuação de doentes. Joana Rosa diz que a situação está a melhorar e pede paciência.

“Estamos ansiosos sim, mas temos que dar um tempo porque em um ano e tal, dois anos, não se pode mobilizar grandes recursos. Temos que ter paciência”, refere.

A parlamentar diz que a população tem que exigir mais desenvolvimento da ilha mas defende que é preciso dar tempo, saber compreender e analisar os sinais.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,15 jun 2018 16:18

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  16 jun 2018 8:47

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.