Presidente quer investidores e experiência holandeses no sector marítimo e de gestão da água

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,11 dez 2018 10:15

Cabo Verde teria muito a ganhar com o conhecimento holandês sobre mecanismos de uso sustentável e eficiente da água. A afirmação foi feita ontem pelo Presidente da República, que está de visita à Holanda.

Jorge Carlos Fonseca, que discursava por ocasião do jantar oficial oferecido pelo Rei Willem-Alexander Claus George Ferdinand e pela Rainha Máxima dos Países Baixos, lembrou que Cabo Verde é caracterizado por ser um país com escassez de chuvas e ausência de cursos de água permanente, e por isso é confrontado com a necessidade de recorrer ao mar para obter água potável.

Sendo a Holanda, um dos melhores países do mundo na gestão dos recursos hídricos, o chefe de Estado entende que a sua experiência seria uma mais-valia para o arquipélago.

“A preocupação com a água no país é histórica, assim como são históricas as soluções tecnológicas que o país foi adoptando para lidar com os desafios hídricos. Consciente da importância deste sector para Cabo Verde, estou convicto que só teríamos a ganhar com o 'know-how' holandês sobre mecanismos de uso sustentável e eficiente da água”, considera.

No capítulo dos investimentos, o Presidente da República espera contar com a participação de investidores e visitantes holandeses no aproveitamento das potencialidades turísticas do arquipélago.

“Cabo Verde nos últimos anos, felizmente, tem registado um crescimento relativamente importante na área do turismo, graças à excelência do seu clima, à qualidade de suas praias, às paisagens diversificadas, à riqueza da sua cultura e ao ambiente de grande tranquilidade social. As potencialidades do crescimento do turismo são assinaláveis pelo que esperamos contar com a participação de investidores e visitantes holandeses”, diz.

O Presidente da República iniciou segunda-feira, 10, uma visita de Estado à Holanda. Uma deslocação que, na sua óptica, oferece uma “excelente oportunidade” para o reforço das nossas relações económicas-empresarias, com envolvimento das autoridades, empresários e investidores dos dois países. Aqui, Jorge Carlos Fonseca diz, por exemplo, que Cabo Verde tem muito a ganhar com o conhecimento e tecnologia de que aquele país dispõe no sector marítimo.

“Uma das áreas que cada vez mais assume importância em Cabo Verde é a marítima, na qual a Holanda tem fortes tradições. Aliás, foi através do mar que as relações entre os países se iniciaram. Estou certo de que Cabo Verde, país com uma vasta área marítima, tem muito a ganhar com a experiência, o saber e a tecnologia de que a Holanda dispõe”, acredita.

Aproveitando para destacar as relações entre Cabo verde e Holanda, o chefe de Estado regista "a convergência de pontos de vista sobre diversas questões de grande importância e actualidade” e verifica a existência de factores favoráveis ao aprofundamento das relações a todos os níveis, o humano, entre holandeses e cabo-verdianos, e o da cooperação entre os dois Estados.

Jorge Carlos Fonseca, que se faz acompanhar da primeira-dama Lígia Fonseca e uma delegação ministerial e de representantes do governo de Cabo Verde, aproveitou o momento para prestar solene homenagem às autoridades, personalidades e cidadãos holandeses que têm, ao longo da história, mesmo antes da independência, contribuído para o desenvolvimento de Cabo-Verde e para o estreitamento das relações. Da mesma forma, saudou os cabo-verdianos que, “com o seu trabalho e generosidade, têm contribuído para a o desenvolvimento deste país, e para as fraternais relações entre Cabo Verde e os Países Baixos”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,11 dez 2018 10:15

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  31 ago 2019 23:22

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.