Tutela garante resolução de pendentes das Forças Armadas até 2021

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,21 dez 2018 16:05

​O ministro da Defesa, Luís Filipe Tavares, assegurou hoje que o Governo está a trabalhar com “toda responsabilidade e serenidade” e que até o final desta legislatura “todos os problemas pendentes” nas Forças Armadas (FA) estarão resolvidos.

A garantia foi dada pelo governante, que falava aos jornalistas, na Cidade da Praia, após a assinatura do acordo de concessão gratuita de assistência militar, entre Cabo Verde e China, avaliado em 5 milhões de dólares, para os próximos cinco anos.

“Nós temos um programa ate 2021, este ano avançámos em várias matérias importantes, como a questão dos investimentos, das casernas nas três regiões militares”, concretizou o ministro, lembrando que para 2019 há outros investimentos previstos e, em 2020, será trabalhada a questão salarial.

Até final da legislatura, reiterou, “resolveremos todos os problemas pendentes e cumpriremos rigorosamente o programa do Governo” para com as Forças Armadas”.

Luís Filipe Tavares avançou que o Governo está a trabalhar numa comissão conjunta entre o ministério da Defesa e as Forças Armadas, com o intuito de modernizar a instituição militar, mas também alterar os estatutos dos militares o que, no seu entender, vai ter implicações na vida dos soldados até o chefe do Estado-maior.

“O documento já esta finalizado, agora vamos pedir autorização legislativa à Assembleia Nacional para podermos legislar tranquilamente, na certeza de que estamos a dar um grande contributo para a modernização das Forças Armadas, e a resolver os problemas de há mais de 13 anos”, sublinhou.

Por outro lado, adiantou que até o final desta legislatura o Governo vai mobilizar junto dos seus parceiros cerca de 10 milhões de dólares para investir e modernizar as Forças Armadas, tendo realçado que até ao momento já conseguiu cinco milhões de dólares junto do Governo chinês.

Em relação ao acordo de concessão gratuita de assistência militar, assinado hoje, afirmou que vai contribuir para melhorar as três regiões militares do País, com “mais meios e equipamentos”, sendo certo, considerou, que as equipas técnicas chinesa e cabo-verdiana irão reunir-se para analisar e ver as necessidades da instituição e o plano de investimento de modernização das Forças Armadas.

O governante revelou ainda que o Governo trabalha com o intuito de ter meios aéreos e marítimos para reforçar a capacidade de intervenção da Guarda Costeira.

Por seu turno, o embaixador da China em Cabo Verde, Du Xiaocong, disse que a embaixada chinesa no arquipélago vai continuar a trabalhar para que no futuro a cooperação entre os dois países seja “cada vez melhor e frutífera”.

O acordo foi presenciado por uma delegação chinesa composta por seis elementos e chefiada pelo conselheiro sénior do Gabinete de Cooperação Militar Internacional do Ministério da Defesa Nacional da China, Zhang Yingli, que vai estar em Cabo Verde hoje e sábado para negociar a aplicação desse montante, bem como analisar e perspectivar acções futuras de cooperação entre os dois países no domínio da defesa.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,21 dez 2018 16:05

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  12 set 2019 23:22

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.