Água dessalinizada em Porto Novo continua a ser “um serviço deficitário”

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,26 dez 2018 12:01

​O abastecimento de água à cidade do Porto Novo, Santo Antão, através de água dessalinizada, “foi e continua a ser um serviço deficitário", diz Anibal Fonseca.

O alerta é do presidente da câmara local, que, sem avançar o valor, admite que se está perante “uma dívida avultada”, insistindo na necessidade de se resolver a questão de regulação, com vista a diminuir os custos de distribuição.

Toda a água produzida pela empresa Águas do Porto Novo (APN) - 590 metros cúbicos/dia - é vendida à câmara municipal que, através do serviço autónomo de água, procede à sua distribuição.

Porém, a distribuição é “um serviço altamente deficitário”, devido às perdas na rede - 45% - com a edilidade a assumir mensalmente uma dívida que ultrapassa os dois mil contos. As dívidas acumuladas pela autarquia são, neste momento, superiores a 100 mil contos, segundo a Inforpress.

Aníbal Fonseca chama a atenção para a necessidade de se resolver a questão do défice tarifário e avisa que o município, a enfrentar “graves problemas financeiros”, tem “sérias dificuldades” para continuar a suportar a dívida.

O Governo diz estar “atento” à situação e já assumiu “o compromisso” com as autoridade locais para, “juntos”, encontrarem uma solução que viabilize o sistema de produção de água dessalinizada.

A APN, que representou um investimento à volta de 240 mil contos, resultou em 2007 de uma parceria público-privada, envolvendo a empresa Águas de Ponta Preta (APP), o Governo e o município do Porto Novo.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,26 dez 2018 12:01

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  16 set 2019 23:22

pub.
pub.
pub
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.