Governo encara corredor Praia-Dakar-Abijan como um dos maiores projectos de infra-estruturação da CEDEAO

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,21 mar 2019 15:08

​O ministro-Adjunto do primeiro-ministro para a Integração Regional definiu hoje o programa do corredor “Praia-Dakar- Abijan” como “um dos maiores projectos de infra-estruturação” da região da Comunidade dos Estados da África de Oeste (CEDEAO) e do continente africano.

Na cerimónia de abertura oficial da I Reunião do Comité Ministerial de Gestão, do programa do “Corredor Praia-Dakar-Abijan”, Júlio Herbert Lopes destacou a “abrangência transversal” deste programa a toda a economia dos estados membros e pelo seu “impacto positivo sem precedentes” no desencravamento de regiões e comunidades.

Um dos objectivos do programa passa pela criação de infra-estruturas de transporte entre todos os países da CEDEAO, nomeadamente uma estrada com 2/3 faixas de rodagem entre Dakar e Abidjan e criar capacidades para uma “boa ligação” marítima entre Cabo Verde e o continente, através do Porto de Dakar.

A reunião da Cidade da Praia tem o propósito de rever o progresso da implementação do programa, discutir e projectar a componente de ligação marítima, rever o cronograma de implementação, acelerar os estudos de preparação do projecto e os arranjos institucionais relacionados, além de planear as próximas etapas.

Herbert Lopes considera que este corredor terá impactos na criação de equidade de oportunidades.

A realização desta 1ª reunião em Cabo Verde é apontada por Herbert Lopes como o reconhecimento do interesse do arquipélago em contribuir para a “mais rápida e sustentável” integração económica, social e cultural de toda a CEDEAO, com vista a permitir oportunidades de desenvolvimento “nunca dantes vistas”.

Esta primeira conferência conta com a presença do ministro da Integração Regional, Nelson Júlio César Herbert, do secretário de Estado para a Economia Marítima, Paulo Veiga, do ministro das Infra-estruturas e Transportes da Guiné-Bissau e de técnicos e especialistas em representação da Costa do Marfim, Gâmbia, Guiné Conacri, Libéria, Senegal, Serra Leoa e Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), entre outras personalidades.

O BAD perspectiva investir 40 milhões de dólares no Fundo Africano de Desenvolvimento, para a preparação deste programa.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,21 mar 2019 15:08

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  20 set 2019 23:22

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.