Electra desmente AdS. Escassez de água deve-se ao não pagamento por parte da distribuidora

PorExpresso das Ilhas,8 dez 2021 11:18

2

A Electra desmentiu hoje o comunicado emitido pela Águas de Santiago (AdS), que atribuía os constrangimentos na distribuição de água na Praia e São Domingos a “perturbações no fornecimento de água em Alta, por parte da empresa produtora”. A verdadeira razão, denuncia, terá a ver o incumprimento dos pagamentos, sendo que a dívida da distribuidora já ascende a 2 milhões de contos.

Há vários dias que a Praia e São Domingos vêm sofrendo com a falta de água na rede. 

Na terça feira, a empresa distribuidora de água emitiu um comunicado referindo ter-se visto “obrigada a racionalizar a distribuição de água” nesses concelhos, uma vez que a “quantidade de água disponível diariamente se revela insuficiente para satisfazer a demanda das populações.”

Apelando ao uso racional da água durante este período, a AdS informou ainda “que a retoma da normalidade no abastecimento de água depende da empresa produtora”.

Na sequência desse comunicado, a empresa produtora veio hoje clarificar,  que não “tem qualquer problema na produção”. De acordo com o Conselho de Administração da Electra, o que está em causa é o incumprimento no pagamento e avultada dívida da AdS.

Como especificam, o contrato de fornecimento de água em Alta, assinado entre a produtora (ELECTRA) e a distribuidora (AdS), prevê uma quantidade mínima diária de entrega pela ELECTRA, mediante o pagamento do fluxo diário e diferença do pagamento da facturação no final do mês, pela AdS.

Ora, a AdS “não tem cumprido com o pagamento regular dos fluxos diários, e não vem cumprindo com os pagamentos dos remanescentes mensais das facturações, que tem como objectivo, estancar a dívida que neste momento ascende a mais de 2 milhões de contos”.

A Electra informa que tem neste momento capacidade de produção diária de água de 20 mil metros cúbicos, suficientes para cobrir a demanda da Praia e de São Domingos, mas perante o cenário da dívida, e estando dependente da compra de combustíveis para a produção da eletricidade que alimenta as dessalinizadoras, teve que ajustar a produção e entrega de água à distribuidora, em função dos pagamentos.

“Entretanto a Electra está disponível, a qualquer momento, para aumentar a produção de água e entregar maior quantidade, caso a distribuidora cumpra com o pagamento da facturação mensal”, acrescenta, rejeitando e refutando qualquer responsabilidade pelos constrangimentos causados.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,8 dez 2021 11:18

Editado porAndre Amaral  em  8 set 2022 23:28

2

pub.
pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.