PM reafirma aposta para desenvolver economia marítima com sustentabilidade

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,14 nov 2023 7:40

Industrializar e desenvolver a economia marítima com energia limpa e sustentabilidade continua a ser um dos desafios de Cabo Verde. Por isso, o país deve estar na linha da frente nas políticas que visam proteger os oceanos, que podem ser essenciais para o combate às alterações climáticas, disse hoje o Primeiro-ministro, na abertura da edição 2023 da Cabo Verde Ocean Week (CVOW).

Ao presidir à cerimónia de abertura da VI semana dedicada ao oceano, que decorre no Centro Oceanográfico do Mindelo, entre outros locais, Ulisses Correia e Silva lembrou que o arquipélago ainda enfrenta vários desafios a nível da economia azul.

“Somos um pequeno Estado Insular. Somos muito vulneráveis a choques económicos, ambientais e climáticos. Temos um grande potencial a desenvolver na economia azul. Devemos por isso estar na linha de frente em todos os combates pelo oceano. A energia e o mar andam juntos na ação climática. A economia verde e a economia azul. Por isso, os desafios são também idênticos: industrializar e desenvolver a economia com energia limpa. Desenvolver a economia marítima com sustentabilidade”, defende.

Num discurso centrado na aceleração da transição energética, o chefe do governo reafirmou os objectivos de gerir de forma sustentável os recursos oceânicos e costeiros, posicionar Cabo Verde como um centro de desenvolvimento de competências no domínio da economia azul, como uma plataforma logística e marítima na atividade portuária, reparação naval, produção de energia limpa, pesca, aquacultura, turismo e eventos náuticos internacionais.

Antes de Ulisses Correia e Silva, o ministro do Mar, Abraão Vicente, pediu mais investimentos do Estado.

“Para Cabo Verde o mar é algo concreto, não é algo abstrato. Para Cabo Verde o mar é uma grande oportunidade em todos os sentidos. Mas para isso é preciso que voltemos para o mar, é preciso maior conhecimento do mar, é preciso maior investigação para o mar, é preciso maior investimento de nós, como Estado, no mar”, defende.

Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal de São Vicente diz que a importância do oceano não pode ser menosprezada, seja nos aspectos ambientais, económicos e sociais. Augusto Neves defende o incentivo e a priorização dos projectos voltados para o ambiente marinho.

“Os Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento têm outros problemas. Eles vivem do mar, mas muitas vezes apenas até ao nível de subsistência. A saúde dos oceanos não é independente de outros aspetos de sustentabilidade ambiental, económica e humana. Temos desafios reais como equilibrar a necessidade real do bem-estar humano, segurança económica, alimentar, hídrica e energética com a necessidade de preservar o planeta”, defende.

São Vicente recebe, até sexta-feira, a 6ª edição da Cabo Verde Ocean Week. O evento acontece este ano sob o lema “Mudando as Marés”, uma proposta de reflexão lançada pelas Nações Unidas no âmbito do Dia Mundial dos Oceanos.

A CVOW conta com um ciclo de conferências com a participação de especialistas e decisores de Cabo Verde, Portugal, Austrália, Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido, Seychelles e países da CEDEAO.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,14 nov 2023 7:40

Editado porAndre Amaral  em  19 abr 2024 23:28

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.