Comunidade China-África com um Futuro Compartilhado Promove Cooperação Internacional com a África

No início de 2021, o Conselheiro de Estado e Ministro dos Negócios Estrangeiros da China, Wang Yi, foi convidado a visitar a Nigéria, a República Democrática do Congo, Botswana, Tanzânia e o Reino das Seychelles de 4 a 9 de janeiro.

Trata-se de uma boa tradição que a diplomacia chinesa tem seguido desde 1991, ou seja, o ministro chinês dos Negócios Estrangeiros escolhe a África para sua primeira visita para iniciar a sua viagem anual ao exterior.Tal ação concreta mostra que a China atribui grande importância à África, também evidencia a amizade tradicional entre a China e a África e o firme apoio da China ao desenvolvimento e revitalização da África, e ilustra igualmenteo importante princípio diplomático de que a China sempre fica ao lado dos países em desenvolvimento. Esta tradição tem sido mantida nos últimos 30 anos e não deveria ser interrompida pela pandemia da COVID-19 este ano. As duas partes precisam de superar as dificuldades, promover a cooperação e buscar um futuro melhor juntos por meio da comunicação face a face.

Durante a visita, Wang Yi foi calorosamente recebido por amigos africanos. Ele manteve reuniões com chefes e seus homólogos dos cinco países africanos respectivamente, durante as quais chegaram a amplos consensos no que diz respeito à implementação das ideias concordadas pelos líderes chineses e africanos, promoçãoda amizade tradicional China-África e aumentoda confiança política mútua, e também em relaçãoà luta conjunta contra a pandemia,aceleraçãoda retomada de grandes projetos de cooperação, impulsionamentoda construção conjunta da iniciativa “Cinturão e Rota” e fortalecimentoda coordenação em assuntos globais e regionais. Além disso, uma série de acordos também foram assinados na ocasião, fazendo aprofundar ainda mais a amizade bilateral, a confiança mútua,a cooperação e os consensos. Na sua visita, à RDC e ao Botswana assinaram respectivamente um memorando de entendimento com a China sobre a construção conjunta do “Cinturão e Rota”, tornando-se sucessivamente o 45º e o 46º países parceiros africanos nessa cooperação com a China.A cooperação “Cinturão e Rota” entre a China e a África, que superou o impacto da pandemia da COVID-19 e da interferência externa, está cobrindo a maior parte do continente africano.Neste momento, mais de 1.100 projetos enquadrados no “Cinturão e Rota” continuam funcionando e quase 100.000 técnicos e engenheiros chineses se têm mantido em seus postos. Mesmo na conjuntura da pandemia, vários projetos voltaram a funcionar um após o outro, trazendo importantes contribuições para o desenvolvimento económico e social local.

A China está disposta a fazer esforços conjuntos com a África para alinhar estratégias e ampliar consensos com os países africanos. Vamos impulsionar a nossa cooperaçãono quadro do “Cinturão e Rota” nas seguintesquatro áreas: Primeiro, com foco na construção de infraestruturas, a China ajudará a promover a conectividade na África; Segundo, a China apoiará a construção da área de livre comércio da África e promoverá um grande mercado entre a China e a África; Terceiro, a China otimizará a distribuição de investimento em capacidade para ajudar a acelerar a industrialização da África; Quarto, a China reforçará a cooperação em inovação científica e tecnológica para ajudar a África a alcançar um desenvolvimento inovador. A Chinaestá pronta para aproveitar a oportunidade da construção própria de um novo paradigma de desenvolvimento e do lançamento da Zona de Livre Comércio do ContinenteAfricano, no sentido de expandir a importação de produtos africanos de alta qualidade, fortalecer a conectividade das cadeias de abastecimento e industriais de ambos os lados a fim de impulsionar os mercados chinês e africano a se fortalecerem mutuamente e cultivar ogrande mercado China-África que dispõe de 2,7 bilhões de população.O país asiático está pronto para incentivar as empresas chinesas a aumentar o investimento na África, explorar ativamente a cooperação em parques industriais, zonas económicas especiais, ajudando a África a transformar mais vantagens de recursos em vantagens de desenvolvimento o quanto antes, em prolda diversificação económica e o desenvolvimento autónomo dos países da África.A China também está pronta para compartilhar tecnologia e experiência da economia digital com a África para construir conjuntamente uma economia verde e buscar um modo de desenvolvimento verde, de baixo carbono, circular e sustentável.

Este ano marca o 20º aniversário da fundação do Fórum de Cooperação China-África.China e África concordaram em levar adiante o espírito do Fórum de Cooperação China-África, com ampla consulta, contribuição conjunta e benefícios compartilhados e aproveitar novas oportunidades para melhorar a cooperação China-África. Em termos específicos, as duas partes farão esforços nas seguintes oito áreas:a China intensificará a cooperação de saúde com a África e ajudará a África na prevenção de doenças importantes; a China fortalecerá a cooperação de capacidade industrial com a África e ajudará a África a aumentar sua capacidade de produção doméstica;a China está pronta para promover a cooperação com a África na conectividade regional e ajudar a África a melhorar sua conectividade de infraestrutura; a China trabalhará com a África para promover a cooperação agrícola e ajudar a região a aumentar a segurança alimentar; a China aumentará a cooperação digital com a África para ajudá-la a aproveitar a oportunidade da revolução da informação; a China impulsionará a cooperação ambiental China-África para ajudar a África a melhorar sua capacidade de lidar com as mudanças climáticas;a China intensificará a cooperação militar e de segurança com a África e ajudará a África a aprimorar suas capacidades de manutenção da paz e anti-terrorismo; a China fortalecerá a cooperação com a África em treinamento de pessoal e habilidades e ajudará a África a cultivar talentos.

image

A cooperação China-África que apresenta um lançamento antecipado, progresso rápido, vários campos, investimento vultosos e resultados frutíferos, já se tornou pioneira na cooperação global com a Áfricae promoveu outros países a prestarem mais atenção à África e aumentarem seus investimentos na África. Isso é bom para a África e, como amiga da África, a China também se regozija com isto.A comunidade internacional tem uma responsabilidade compartilhada de apoiar o desenvolvimento da África. A China dá as boas-vindas a todas as partes da comunidade internacional para aumentar a contribuição na África, alavancar seus respectivos pontos fortes e formar uma sinergia efetiva.A cooperação China-África nunca foi fechada ou exclusiva. A China está pronta para promover ativamente a cooperação tripartida ou multipartidária com a África, de modo a desempenhar conjuntamente um papel construtivo na promoção da paz e do desenvolvimento na África.A África deve ser um grande palco para a cooperação internacional, não uma arena de competição entre os principais países.

Ao concluir sua 15a visita à África, oConselheiro de Estado Wang Yi,fez o balanço que, a sua impressão mais profunda da visita foi que a amizade China-África permanece sólida e estável, independentemente da situação internacional, dificuldades, obstáculos ou interrupções.China e África foram bons camaradas de armas e bons irmãos, eapesar de tudo,são bons parceiros para o desenvolvimento comum. Durante esta visita, a mensagem enviada pela China e África ao mundo exterior é muito clara. Os dois lados prezam a amizade tradicional e estão determinados a levá-la adiante; ambos afirmam seu forte apoio um ao outro e juram salvaguardar conjuntamente a soberania e dignidade nacionais; ambos assumem a missão de rejuvenescimento nacional e estão prontos para dar as mãos para salvaguardar seu legítimo direito ao desenvolvimento; ambos estão comprometidos com a equidade e a justiça, defendem o verdadeiro multilateralismo e se opõem a qualquer interferência externa.China e África estão trabalhando juntas na mesma direção para reunir a poderosa força dos 2,7 bilhões de chineses e africanos, o que constitui a maior garantia para salvaguardar seus interesses comuns.

As trocas amigáveis de alto nível entre a China e Cabo Verde são muito próximas. Em maio de 2017, o Ministro dos Negócios Estrangeiros Wang Yi visitou Cabo Verde. Ele encontrou-se com o Presidente Jorge Carlos Fonseca e o Primeiro-Ministro Ulisses Correia e Silva, e teve conversas frutíferas com o então Ministro dos Negócios Estrangeiros Luís Filipe Tavares. Nos últimos anos, os Ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países realizaram encontros ou trocas de mensagens muitas vezes e têm se mantido intercâmbio estreito e amigável.No dia 20 de Janeiro deste ano, o Conselheiro de Estado e Ministro dos Negócios Estrangeiros da China Wang Yi enviou uma carta para felicitar Sr. Rui Figueiredo Soares pela sua tomada de posse como Ministro dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde, sublinhando que este ano assinala o 45º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas entre a China e Cabo Verde. A China e Cabo Verdegozam de uma amizade duradoura e cooperação com resultados frutíferos em várias vertentes. Após o surgimento da pandemia da Covid-19, os povos dos dois países têm-se ajudado mutuamente, demonstrando uma profunda amizade que é capaz de resistir aos momentos altos e baixos. Ele está disposto a estabelecer bons contactos de trabalho com o seu homólogo cabo-verdiano, visando fortalecer a comunicação e a coordenação entre os dois países em assuntos bilaterais, internacionais e regionais, em prol do maior progresso dos laços sino-cabo-verdianos.

Não faz muito tempo, recebi uma mensagem de cumprimentos pelo Ano Novo a partir do Primeiro-Ministro Ulisses Correia e Silva. Noensejo, ele agradeceu à China pelo seu apoio e ajudaprestado a Cabo Verde no enfrentamentoda pandemia sem precedentes, e salientando que o governo cabo-verdiano está empenhado no “Plano Nacional de Resposta, Recuperação e Promoção da Economia” para lidar com crises e alinhar as medidas públicas, visandoo relançamento económico, estabilização e crescimento acelerado. O Paístem convicção firme que vai superar a pandemia, restaurar a economia e abraçar um melhor2021 com esforços conjuntos dos seus parceiros internacionais.

Na ocasião, gostaria de reiterar a disponibilidadeda China de fortalecer a cooperação estratégica com a África, continuar a injetar novas conotações na sua parceria estratégica abrangente. Além disso, a China está pronta a aprofundar a cooperação prática com Cabo Verde em vários campos e fortalecer a coordenação nos assuntos internacionais. Neste sentido, vamos encarar a celebração do 45º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas dos dois países como oportunidade para construir uma comunidade China-África mais forte com um futuro compartilhado e contribuir com nossos esforços conjuntos para o mesmo.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Du Xiaocong, Embaixador da República Popular da China em Cabo Verde,18 mar 2021 17:20

Editado porExpresso das Ilhas  em  24 out 2021 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.