Naturalizados já podem mudar de selecção mas há excepções

PorExpresso das Ilhas,20 set 2020 18:47

​A FIFA aprovou, sexta-feira, uma importante mudança nas regras relacionadas com a naturalização de jogadores. A medida vai permitir que os atletas que tenham defendido as cores de uma bandeira possam actuar por outra.

A decisão saiu do 70.º Congresso, realizado em Zurique. Esta alteração aos regulamentos pretende evitar que as federações “bloqueiem” jovens promessas após a sua participação em apenas um jogo oficial por uma das seleções que possam representar.

Assim, de acordo com o novo regulamento, “um jogador que disputou até três partidas oficiais ou não por uma determinada selecção, antes de completar 21 anos, poderá adoptar outra equipa nacional no futuro”.

O documento estabelece ainda que o intervalo entre o último jogo realizado e a mudança para uma outra selecção deve ser de 3 anos. Também não permite a mudança para quem já tiver disputado uma Copa do Mundo.

Um dos casos na base desta mudança da regra foi o do hispano-marroquino Munir El Haddadi, actualmente no Sevilha.

O jogador tornou-se internacional A por Espanha, em 2014, com 19 anos, só tendo jogado 13 minutos por Espanha, em 2014, contra a Macedónia, na qualificação para o Europeu desse ano e isso impediu-o de alinhar por Marrocos no Mundial 2018.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,20 set 2020 18:47

Editado pormaria Fortes  em  24 out 2020 16:19

pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.