Março, mês da mulher (no Desporto) – III

PorLeonardo Cunha,28 mar 2022 8:58

Neste último artigo que abordo o tema do empoderamento feminino e aumento da sua participação no Desporto, referirei-me ao conjunto de iniciativas e atividades válidas e com provas de sucesso para este objetivo.

Uma das medidas tem a ver com as infraestruturas desportivas. O Centro Interdisciplinar de Estudos de Género da Universidade de Berna, desenvolveu uma “lista de verificação para normas de resposta ao género para recintos desportivos”, adaptado às necessidades de quem planeia e realiza a construção de recintos desportivos. Estas normas abrangem as áreas centrais da integridade física, normas socioculturais, segurança, saúde, higiene, acesso, mobilidade, proteção e prevenção.

Igualmente, a promoção da igualdade de género centrada no empoderamento e nas políticas de diálogo parecem ter efeito. Em particular, o desporto pode ser usado como um instrumento para promover a igualdade de género a nível individual, comunitário e social. Podem ser aplicadas várias abordagens e prioridades: A capacitação das raparigas e das mulheres é um pré-requisito importante para alcançar a igualdade de género. O desporto pode desempenhar um papel importante na retenção da autoestima e da autoconfiança das raparigas e das mulheres. Atuando como treinadores, árbitros, professores desportivos e funcionários em clubes desportivos ou em escolas também reforça as suas capacidades de liderança e gestão.

Outra medida necessária é usar o desporto para discutir o tema da saúde sexual, reprodutiva e os direitos com meninas e jovens num ambiente protegido. Neste contexto, é essencial ter treinadoras femininas que possam servir de exemplos e discutir questões e problemas que são tabus noutros contextos. Estudos mostram que as atletas femininas são mais avessas ao risco quando se trata de comportamento sexual com menos filhos em geral. Também para rapazes e homens, o ambiente protegido oferecido pelo desporto pode ser usado para abordar questões sensíveis.

Considerando que as raparigas e as mulheres praticam muito menos atividade física do que os seus pares masculinos (embora o desporto e o exercício sejam uma forma rentável de prevenir certas doenças), podemos considerar que a atividade física regular ajuda a prevenir muitas doenças não transmissíveis — como a osteoporose e o cancro da mama, que afetam desproporcionalmente as mulheres. A promoção da atividade física e o desporto nas mulheres tem um efeito proporcional inverso nestas doenças.

Sendo que o desporto tem um potencial transformador no que diz respeito ao género e aos papéis específicos e aos comportamentos de mulheres e homens, bem como de raparigas e rapazes num ambiente desportivo, este fornece uma plataforma para abordar e discutir papéis tradicionais de género. Os efeitos disto vão muito além dos limites do desporto. Neste contexto, importa-se assegurar que as raparigas e as mulheres tenham acesso a atividades desportivas e eliminar barreiras específicas ao género. Especialmente com rapazes e homens o desporto pode ser usado para discutir os conceitos de masculinidade e respeito pelo sexo oposto.

Estas medidas, experiências e exemplos mostram que o desporto pode ajudar a garantir que as raparigas e as mulheres desempenham um papel igual na sociedade e que os rapazes e os homens também podem ser envolvidos neste processo. Devido a estes desafios, é importante planear e implementar medidas personalizadas e culturalmente sensíveis em cooperação com os envolvidos e considerar os seus papéis e posições no contexto local. É também crucial, a este respeito, criar instalações seguras (desportivas) para raparigas e jovens mulheres.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Leonardo Cunha,28 mar 2022 8:58

Editado porAndre Amaral  em  12 ago 2022 23:29

pub.
pub.
pub.

pub
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.