​Eugénio Inocêncio defende que turismo sustentável e inclusivo tem que funcionar em rede

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,9 fev 2019 9:59

Eugénio Inocêncio
Eugénio Inocêncio

O presidente da Associação do Turismo de Santiago (ATS), Eugénio Inocêncio, disse ontem à Inforpress que o turismo sustentável e inclusivo deve operar em rede, com agências e pessoas que investem na oferta de espaços de alojamento turístico.

Eugénio Inocêncio falava a propósito do tema “O Papel Central da Agências de Viagens e Turismo na Construção de um Destino Turístico Sustentável e Inclusivo” que vai abordar no Encontro Nacional das Agências de Viagens e Turismo de Cabo Verde que acontece este sábado na Cidade da Praia.

Segundo o economista, o turístico sustentável e inclusivo deve operar em rede e as agências de viagens têm um papel importante para fazer essa rede funcionar num momento em que começa a existir em Cabo Verde, nomeadamente na ilha de Santiago, iniciativas espontâneas de construção de ofertas de pequenas pensões para os turistas e de quartos para alugar.

Por causa disso, defendeu a necessidade de se criar outro tipo de oferta que entretenha o turista e que venda serviços e experiências, que é o que faz com que o turista escolhe um destino.

“E é preciso que as agências organizem pacotes que permitam a um turista passar uma semana na ilha de Santiago, mas que passe por exemplo dois dias em Santa Catarina, Assomada, outros dois dias, por exemplo, no Tarrafal, e mais um dia em São Miguel ou outro em Santa Cruz”, explicou.

Para Eugénio Inocêncio, é preciso tornar o truísmo inclusivo que vá ao encontro de todos os municípios e que permite criar oportunidades de rendimento, em todos os pontos da ilha.

Mas, prosseguiu, sobretudo que seja um elemento de sustentabilidade porque, explicou, introduz um “factor muito importante” que é o factor social, aliado ao emprego e ao rendimento para as pessoas e à luta contra a pobreza, entre outros ganhos.

“Criando um ambiente favorável ao desenvolvimento do turismo, as agências de viagens estão no centro desse processo. Isso tem que ser feito de uma forma integrada entre todos os agentes. É uma rede complexa e essa rede também alcança os sectores tradicionais da nossa economia, a agricultura, a pecuária, o artesanato, que é um sector extraordinariamente importante”, ajuntou o presidente da ATS.

Vincando a importância desta articulação, Eugénio Inocêncio disse que só no ano passado a Associação do Turismo de Santiago foi convidada e esteve na inauguração de seis pequenas unidades de oferta de alojamento turístico espalhadas pela ilha de Santiago. Pelo que vê no surgimento dessas unidades “um movimento extremamente importante e rico” que demonstra que as pessoas acreditam no turismo.

“As pessoas de uma forma geral estão a se preparar para essa onda de turismo, que é uma oportunidade de maior importância para o cabo-verdiano, para as várias localidades, para os municípios, para a geração de empregos, criação de riqueza. E é também um mercado para os pequenos produtores, pescadores, agricultores”, sustentou Eugénio Inocêncio, acrescentando ainda que o turismo “no fundo é exportarmos sem sair daqui porque o consumidor é que vem ter connosco.”

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,9 fev 2019 9:59

Editado porFretson Rocha  em  18 ago 2019 23:22

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.