Cabo Verde Airlines protege passageiros após interdição de voos de Itália

PorExpresso das Ilhas, Lusa,28 fev 2020 7:01

A Cabo Verde Airlines anunciou esta quinta-feira que está a adoptar uma “estratégia de protecção dos passageiros” com voos reservados de Itália para o arquipélago, face à interdição das ligações aéreas desde aquele país europeu, devido ao alastrar do coronavírus.

Em comunicado, a companhia aérea refere que na sequência da decisão do Governo de suspender, a partir de 27 de Fevereiro e até 20 de Março, todos os voos entre Itália e Cabo Verde, devido à epidemia do novo coronavírus (Covid-19), a Cabo Verde Airlines “implementou uma estratégia de proteção dos passageiros com voos reservados para o período mencionado”.

A Cabo Verde Airlines, que tem voos regulares de e para Itália, está a disponibilizar aos passageiros com reservas para viagens neste período – para Cabo Verde ou com passagem pelo ‘hub’ da ilha do Sal com destino a outras países – a possibilidade de remarcação dos bilhetes para “datas posteriores ao período de restrição” sem penalizações, ou pelo reembolso integral do bilhete não utilizado.

A companhia garante “estar a seguir todas as recomendações da Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA), bem como as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e mantém o contacto constante com as autoridades locais, a fim de manter seus passageiros e tripulantes em segurança”.

A interdição de todos os voos de Itália para Cabo Verde, devido ao alastrar do surto do coronavírus, entrou ontem em vigor.

O anúncio desta decisão foi feito na quarta-feira à noite pelo primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, garantindo que a interdição de todos os voos com origem em Itália terá um prazo inicial de três semanas.

Na resolução do Conselho de Ministros publicada em Boletim Oficial, que entra “imediatamente em vigor”, o Governo justifica a decisão por entender que deve “tomar medidas preventivas urgentes para garantir a segurança do país em matéria de saúde pública”.

“Considerando o nível de alerta da OMS e a crescente ansiedade da população sobre esta situação e não descurando os fracos recursos médicos do país em fazer face a uma situação em grande escala”, lê-se na resolução.

Assim, ficam interditados “todos os voos com procedência em Itália para Cabo Verde por um período de três semanas”.

“A situação será avaliada para decisão sobre a continuidade da medida ou seu cancelamento conforme o estado da evolução do coronavírus (Covid-19) em Itália”, lê-se ainda.

A resolução recorda que Cabo Verde tem ligações diárias áreas com aquele país europeu e que recebe anualmente 30 mil turistas provenientes de Itália, com uma média de estadia – sobretudo nas ilhas do Sal e da Boa Vista – de seis dias. Por outro lado, é também sublinhado que o turismo contribui com cerca de um quinto da riqueza nacional criada e com 23% dos postos de trabalho.

Itália, sobretudo o norte do país, ultrapassou na quarta-feira os 400 casos de infectados pelo novo coronavírus, entre os quais 12 mortos.

Em Itália vive igualmente uma importante comunidade de emigrantes cabo-verdiana, estimada em mais de 20.000 pessoas.

O balanço provisório da epidemia do coronavírus Covid-19 é de 2.800 mortos e mais de 82 mil pessoas infectadas, de acordo com dados reportados por 48 países e territórios.

Das pessoas infectadas, mais de 33 mil recuperaram.

O Governo cabo-verdiano mobilizou cerca de 77 mil contos para financiar um plano de emergência para lidar com o novo coronavírus, face à exposição a países que enfrentam o surto, apesar de não ter ainda registado qualquer caso.

Na China estudam cerca de 350 cabo-verdianos, 15 dos quais estão em quarentena em Wuhan, epicentro do surto do novo coronavírus. Além disso, milhares de chineses trabalham e vivem atualmente no arquipélago de Cabo Verde.

Além de 2.744 mortos na China, onde o surto começou no final do ano passado, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França, Hong Kong e Taiwan.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência de saúde pública de âmbito internacional e alertou para uma eventual pandemia, após um aumento repentino de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão nos últimos dias.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,28 fev 2020 7:01

Editado porSara Almeida  em  31 mar 2020 14:19

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.