Sal recebe primeiro voo charter a 25 de Dezembro

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,18 dez 2020 7:07

1

O Sal recebe a 25 deste mês o primeiro voo charter, com 180 passageiros provenientes da Polónia, após nove meses de suspensão, devido à pandemia da covid-19, revelou ontem o ministro do Turismo e Transportes.

O governante, que presidiu à cerimónia de encerramento do curso de guias de turismo em Santiago, considerou que essa retoma irá trazer uma luz e esperança ao país.

“No dia do Natal, chegará o primeiro voo charter da Polónia à ilha do Sal, com cerca de 180 passageiros e uma primeira luz para o país e esperança que nos caracteriza e que demonstra claramente que as coisas, mais tarde ou mais cedo, irão desembocar num bom porto”, mencionou.

Quanto ao curso de guias de turismo, Carlos Santos assegurou que o Governo criou esse pacote de formação para capacitar os profissionais da área do turismo, apoiar também nos rendimentos dos jovens guias de turismo abrangendo os taxistas, profissionais das agências de viagens e profissionais de hotéis.

“Esse número deverá ascender cerca de 2500 profissionais, através de uma formação que, na primeira fase, contou com o financiamento do Banco Mundial e do Fundo do Turismo e uma segunda fase que deverá iniciar-se em Janeiro do próximo ano, com o apoio da União Europeia. Tudo isso para responder aos impactos negativos da pandemia da covdi-19”, informou.

Por outro lado, adiantou que está previsto para o primeiro semestre de 2021, com o apoio do Banco Mundial, uma outra acção que pretende apoiar e desenvolver outros projectos ligados ao turismo de natureza rural.

“É um turismo que está ligado às ilhas de Santiago, Fogo, Brava, Santo Antão e São Nicolau, e queremos acelerar os passos no sentido de começar a modelar e qualificar aquilo que é esse produto turístico e formar um pacote que seja harmónico e desembocar na qualificação do nosso produto turístico”, referiu.

Para o ministro, os formandos têm um papel determinante na venda daquilo que é o produto turístico cabo-verdiano, e embaixadores do turismo sendo que tem o contacto direito com os turistas.

“Essa insistência na vossa capacitação, seja na nossa história, cultura e tudo aquilo que sejam elementos que identificam a cabo-verdianidade são necessários nos próximos anos para podermos qualificar e vender um produto com qualidade”, apontou.

O curso teve a duração de três meses e contou com o financiamento do Banco Mundial e do Ministério do Turismo e Transportes através do Fundo do Turismo.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,18 dez 2020 7:07

Editado porAndre Amaral  em  5 mar 2021 23:21

1

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.