TICV retoma voos este sábado, agora operada pela BestFly

PorExpresso das Ilhas, Lusa,22 out 2021 16:00

1

A Transportes Interilhas de Cabo Verde (TICV), detida pelo grupo BestFly, anunciou hoje que vai retomar as ligações aéreas domésticas no arquipélago este sábado, prevendo o progressivo crescimento da actividade e do número de voos.

Em comunicado enviado à Lusa, a companhia, que não operava desde 16 de Maio, refere que já no sábado serão realizados nove voos, ligando Santiago (Praia), São Vicente, Sal, Maio e Boa Vista.

A companhia acrescenta que a retoma da actividade da TICV será feita com a marca comercial BestFly Cabo Verde e que o grupo “tem em implementação um plano de crescimento para a operação a partir do arquipélago, para se tornar numa referência no transporte aéreo na região”.

O grupo BestFly, de origem angolana e que opera em vários continentes no sector da aviação civil, foi escolhido pelo Governo de Cabo Verde, após consulta ao mercado, para assumir a partir de 17 de Maio uma concessão emergencial de seis meses do serviço público de transporte aéreo de passageiros interilhas, precisamente após a suspensão dos voos pela TICV.

Em 05 de Julho, o grupo BestFly acordou a compra de 70% do capital social da TICV aos espanhóis da Binter, ficando os restantes 30% com o Governo cabo-verdiano.

“O sector da aviação civil em todo o mundo tem sofrido fortemente com os impactos da pandemia e nós não ficamos imunes a isso. Mas com o esforço e dedicação dos trabalhadores da companhia, mesmo os que já não estão ao serviço, é agora possível retomar a actividade, com a garantia de um serviço de qualidade e fiabilidade aos nossos clientes”, afirma Américo Borges, diretor-geral da TICV, citado no comunicado.

Segundo a companhia, a TICV já tem um Certificado de Operador Aéreo em Cabo Verde, mas o processo de retoma dos voos interilhas envolveu igualmente a certificação por parte da Agência de Aviação Civil (AAC).

“A partir de sábado, operada através do grupo BestFly, vamos concentrar o serviço de ligações aéreas em Cabo Verde apenas na TICV, que volta assim a operar, recorrendo aos dois ATR72-600 que já temos cá. Será uma transição sem qualquer sobressalto, porque termos a confiança dos nossos passageiros, será o nosso maior activo”, garantiu o diretor-geral, elogiando ainda o papel da AAC, enquanto regulador, neste processo.

Em 2020, os voos domésticos em Cabo Verde, operados apenas pela TICV, movimentaram cerca de 125 mil passageiros, menos 286 mil (-230%) face ao ano anterior, devido às restrições impostas pela pandemia de covid-19.

Em 2017, os passageiros das ligações aéreas domésticas em Cabo Verde atingiram o recorde de quase 465 mil (movimento total de 929.595 embarques e desembarques), com mais de 10.200 voos.

Esta semana a TICV já tinha sido notícia devido ao despedimento colectivo de 60 funcionários.  Américo Borges justificou a medida com  a redução do número de voos operados que originou “uma drástica redução” da receita, colocando a TICV numa situação económico-financeira “muito difícil” , o que, com as agravantes consequências da COVID-19, “obriga a desencadear um processo de reestruturação, que se torna imprescindível”, para a garantir a “continuidade e sustentabilidade” da empresa.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,22 out 2021 16:00

Editado porSara Almeida  em  8 dez 2021 11:19

1

pub.

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.