Cabo Verde "aberto ao mundo" para atrair investimento privado

PorExpresso das Ilhas, Lusa,16 jun 2022 8:19

O Cabo Verde Investment Forum arranca hoje na ilha do Sal, com o objectivo de atrair investimentos do sector privado para a economia cabo-verdiana, em sectores como o turismo, economia azul, transportes marítimo e aéreo e energias renováveis.

Com o lema “Cabo Verde is Open to the World” (‘Cabo Verde está aberto ao Mundo’), o encontro de dois dias pretende ser “um instrumento privilegiado de mobilização de investimentos para o sector privado cabo-verdiano”, promovendo o acesso dos empresários e promotores nacionais aos mercados de capitais nacionais e internacionais.

Nesta quarta edição, que contará com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, a presidir ao acto de abertura, estarão em destaque, como os principais eixos de desenvolvimento sustentável do país, os sectores da Economia Digital, Economia Azul, Energias Renováveis, Transporte Marítimo e Aéreo, Serviços Financeiros, Agro-negócio e Turismo.

O fórum regressa ao país após duas edições realizadas no estrangeiro, sendo organizado pelo Governo, em parceria com a Cabo Verde Tradeinvest, entidade pública que promove a captação de investimento estrangeiro para o arquipélago, e segue a orientação política do executivo de diversificação da economia e forte aposta no sector privado.

“O evento pretende alcançar a médio/longo prazo uma percepção elevada de Cabo Verde como plataforma de investimento fazendo ligação à economia global”, segundo a entidade organizadora.

O fórum conta com o financiamento do Banco Mundial e Banco Africano de Desenvolvimento, com a parceria da Câmara de Turismo e das Câmaras do Comércio de Sotavento e Barlavento, Câmara do Sal e ASA – Aeroportos e Segurança Aérea.

A primeira edição do Cabo Verde Investment Forum (CVIF) realizou-se na ilha do Sal, em Julho de 2019, e segundo anunciou na altura o ministro das Finanças, Olavo Correia, o país conseguiu mobilizar 1,5 mil milhões de euros em 41 projectos, após três dias com mais de 100 encontros e 400 participantes.

Seguiu-se, em Setembro de 2019, uma edição do CVIF em Boston, para captar investimentos na diáspora cabo-verdiana nos Estados Unidos da América.

Uma nova edição deste fórum chegou a estar anunciada para Julho de 2020, na ilha do Sal, mas foi adiada duas vezes devido à pandemia de covid-19.

A terceira edição do evento, que marcou o seu regresso, foi realizada em Fevereiro último, no Dubai, no âmbito da participação do país na Expo 2020 Dubai.

Cabo Verde vive uma profunda crise económica, após uma recessão de quase 15% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, face à ausência de turismo provocada pela pandemia de covid-19, sector que garante 25% do PIB e do emprego do país.

O Governo admite que a economia possa ter crescido entre 6,5 e 7,5% em 2021, impulsionada pela retoma da procura turística, e prevê 6% de crescimento em 2022, que foi revista para 4%, devido às consequências económicas da guerra na Ucrânia.

Na semana passada, o Banco de Cabo Verde (BCV) anunciou a revisão em baixa e uma moderação do crescimento económico para 2022 no intervalo de 3,5% a 4,5%, justificada com o conflito na Ucrânia e a tensão geopolítica.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,16 jun 2022 8:19

Editado porA Redacção  em  27 nov 2022 23:27

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.