Empresários preferem fundos para voos internos em vez de internacionais

PorExpresso das Ilhas, Lusa,28 jun 2024 7:53

O presidente da Câmara de Comércio do Sotavento, Marcos Rodrigues, defendeu esta quinta-feira que o Estado abandone os voos internacionais e que aplique o dinheiro público para solucionar as ligações interilhas.

Nos voos internacionais nunca houve falta de operadores, nem de ligações, enquanto nos voos entre ilhas as falhas são frequentes, referiu, em declarações à Lusa.

“O Estado tem uma responsabilidade crucial: investir seriamente numa companhia doméstica para resolver os problemas de transportes e esquecer definitivamente a questão dos voos internacionais”, disse Marcos Rodrigues, que preside também ao Conselho Superior das Câmaras de Comércio e Turismo.

“Continuamos a insistir numa companhia aérea internacional, que tem um custo elevadíssimo para o erário público, quando esses valores podiam ser transferidos para uma companhia aérea doméstica robusta que iria revolucionar efectivamente o desenvolvimento de Cabo Verde”, declarou.

O sector doméstico sofre de problemas crónicos: a última concessionária, Bestfly, acumulou problemas devido à falta de aviões e acabou por abandonar o arquipélago em Abril.

A TACV (Transportes Aéreos de Cabo Verde), até então dedicada a voos internacionais, entrou de emergência no mercado interno para salvar a operação entre ilhas, mas, apesar de haver uma melhoria global do serviço, mantêm-se várias queixas sobre falhas na operação.

“O transporte doméstico em Cabo Verde ainda não é rentável”, pelo que o dinheiro do Estado que está a ser aplicado em rotas internacionais deve cobrir o défice com o serviço público interno, que nenhum privado irá cobrir, apontou Marcos Rodrigues.

Um problema que não acontece no mercado internacional, acrescentou, em que há várias companhias a ligar o arquipélago ao mundo e com tendência para aumentarem (entrando este ano as companhias ‘low-cost’).

Por outro lado, Marcos Rodrigues disse acreditar que o reforço interilhas deverá gerar ainda mais competição entre operadores internacionais interessados em voar para Cabo Verde e que, a prazo, dinamizando-se o mercado interno, até a operação doméstica poderá ser atractiva para privados.

Tudo depende de uma melhor distribuição de visitantes e eventuais investidores pelas ilhas, disse.

Há muitos anos que “a TACV não apresenta resultados positivos” e “não faz sentido insistir no mercado internacional, com dois aparelhos”, financeiramente suportados com garantias do Estado, acrescentou.

Enquanto o movimento de passageiros e carga internacional tem crescido nos aeroportos do arquipélago, os mesmos números têm caído em relação ao tráfego interno, indicou, reflectindo a forma como a falta de ligações internas limita o desenvolvimento do país.

“Temos exemplos de ilhas em todas as partes do mundo” em que “a maior parte delas” não tem companhias nacionais para ligações ao estrangeiro, sem que isso trave “o turismo e o seu nível de desenvolvimento”, acrescentou.

Cabo Verde tem de se questionar: “Quais são as prioridades? Estão onde temos mais problemas, nos transportes aéreos domésticos”, não nos voos internacionais, concluiu o líder da Câmara de Comércio do Sotavento.

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, anunciou que até final do ano seria criada uma companhia 100% estatal só dedicada aos voos domésticos, com mais aviões, adaptados a cada ilha.

O Governo já anunciou também que vai indicar um novo presidente para a TACV: Pedro Barros, economista e actual presidente do Fundo Soberano de Garantia de Investimento Privado.

A situação tem motivado alertas de vários parceiros internacionais.

Esta semana, o Grupo de Apoio Orçamental (GAO, que junta Espanha, Luxemburgo, Portugal, União Europeia, Banco Africano de Desenvolvimento e Banco Mundial) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) publicaram declarações no mesmo sentido: “melhorar as ligações entre ilhas é crucial para a competitividade do país”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,28 jun 2024 7:53

Editado porAndre Amaral  em  21 jul 2024 11:20

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.