​Destaques da edição 891

PorExpresso das Ilhas,24 dez 2018 7:21

Nesta edição, o Expresso das Ilhas dá destaque à venda do BCA por parte da CGD: “A opção tranquila que mantém os postos de trabalho e assegura todas as garantias aos depositantes”, diz Paulo Macedo, presidente da Caixa Geral de Depósitos.

Também neste número, Pedro Morais Presidente da Câmara da Ribeira Brava: Não sou político, sou pragmático. Matemático e professor, Pedro Morais concorreu como independente à Câmara da Ribeira Brava de São Nicolau e ganhou, onde governa em coligação com o MpD. Ultrapassada a primeira metade do mandato, o autarca fala com o Expresso das Ilhas sobre as ideias para a Preguiça, faz o balanço dos dois anos anteriores, explica o que falta fazer e aborda ainda como tem sido a convivência com a política, os partidos políticos e o poder central.

Governo dá aval de 25 milhões de dólares à CVTelecom. Capital será usado para ligar Cabo Verde ao EllaLink. Construído para responder ao aumento cada vez maior do tráfego de dados entre a Europa e a América Latina, o EllaLink vai estar operacional em 2020. Quando estiver concluído será a única infra-estrutura do género a fazer a ligação directa entre os dois continentes e terá cerca de 6000km de comprimento permitindo a ligação ao arquipélago da Madeira e também a Cabo Verde.

Lançamento: “As tartarugas também choram”: Estórias de um projecto de estórias. Começou por ser um projecto de estórias para o Benjamim. A bem dizer, ainda são estórias para o Benjamim, mas agora partilhadas na esfera pública com outras gentes, pequenas e graúdas. O primeiro livro do projecto “Estórias do meu país inventado”, da autoria de João Fonseca, tem ilustrações de Sabino Gomes Horta e o traço característico da arte dos Rabelados. Recentemente editado pela Livraria Pedro Cardoso, “As tartarugas também choram” mostra um pedaço de Cabo Verde, das suas praias de areia, a biodiversidade, as desigualdades, mas também a possibilidade de (re)união. Outros pedaços serão entretantos mostrados em outros livros deste projecto que visa levar estórias às gentes, pintando narrativas poéticas e conceptuais da realidade cabo-verdiana.

Cabo Verde volta a ter “Chuva Braba”. Regressa às livrarias e bibliotecas do país uma das obras maiores da literatura cabo-verdiana: Chuva Braba. Passadas seis décadas da sua primeira publicação, a Biblioteca Nacional de Cabo Verde reedita este que é um dos títulos mais conhecidos e apreciados de Manuel Lopes.

No interior, a opinião de Eurídice Monteiro, O Samba; e de Manuel Brito-Semedo, Ilhéu de Contenda.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,24 dez 2018 7:21

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  22 jan 2019 20:19

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.