Destaques da edição 897

PorExpresso das Ilhas,6 fev 2019 0:20

Nesta edição, o Expresso das Ilhas dá destaque à entrevista com Carlos Veiga: Devemos tudo fazer para encontrar um bom equilíbrio na nossa relação com Israel.

Israel e Cabo Verde partilham várias características comuns, nomeadamente a aridez das suas terras, insuficiência de chuvas, mas suplanta tudo isso com uma tecnologia que é das mais avançadas do mundo. Além disso, Cabo Verde tem uma herança judaica muito apreciada pelo Estado judaico. Daí que para Carlos Veiga a nossa relação com Israel tem tudo para dar certo. Entretanto, alerta o Embaixador não permanente de Cabo Verde em Israel, o nosso país tem estado desde a independência a votar sistematicamente contra Israel, sem analisar. Para Carlos Veiga, em prol dos interesses de Cabo Verde, temos que dialogar politicamente com Israel, o que não quer dizer que vamos aceitar todas as suas posições. Nesta entrevista realizada, em finais de Janeiro, na Praia, à margem da conferência sobre os 200 anos de relações entre Cabo Verde e os Estados Unidos, o também Embaixador em Washington fala dos problemas e desafios que se colocam à nossa comunidade nesse país norte-americano.

Também neste número, Tráfico de droga: Em Cabo Verde aconteceu uma das maiores apreensões a nível mundial. Terá sido um desvio na rota a alertar as autoridades para o transporte de narcóticos a bordo do ESER, o navio panamiano apreendido no porto da Praia. No sábado, as 9,5 toneladas de cocaína em elevado grau de pureza apreendidas a bordo do navio foram incineradas na lixeira da Praia.

Menores “institucionalizados”: Este lugar não é para crianças. Cerca de 258 crianças cabo-verdianas vivem em instituições, 56 das quais em centros de emergência onde chegam a viver anos, quando a lei apenas permite, em situações normais, uma permanência de 12 meses. Todos concordam que uma instituição não é lugar para uma criança crescer, mas então porque continuamos a ter estas situações? Porque não há, por exemplo, mais crianças para adopção? O que falha e o que tem sido feito para resolver a “institucionalização” prolongada de crianças?

Carreira docente na Uni-CV: O beco sem saída. Doze anos passados da criação da Universidade de Cabo Verde e em vésperas de completar uma década da criação do seu Estatuto do Pessoal Docente, o ambiente entre os docentes da única universidade pública é de desânimo e inércia perante “o beco sem saída” que é como classificam a carreira docente na instituição. Na sequência do artigo publicado pelo Expresso das Ilhas na edição de 23 de Janeiro, outras vozes vêm a público esclarecer as implicações desta situação para o futuro da Universidade e do ensino superior no país.

Luís Barbosa PwC Portugal: A educação financeira do cliente é fundamental. Luís Barbosa é um dos oradores da conferência: Literacia Financeira e Supervisão Bancária - no actual contexto de integração e transformação digital, que vai decorrer na próxima sexta-feira, na Cidade da Praia. Antes respondeu, via email, a algumas questões do Expresso das Ilhas sobre a actualidade e o futuro da supervisão bancária, as oportunidades que Cabo Verde poderá aproveitar no actual contexto de transformação digital e que cuidados de supervisão deve ter o arquipélago que quer assumir-se como uma plataforma de serviços financeiros.

No interior, a opinião de Carlos Gonçalves, Centro Nacional de Artesanato sem muros; de José Almada Dias, Islândia, uma história de bons exemplos para Cabo Verde e para o mundo (I); e de Manuel Brito-Semedo, O Ensino Superior do Seminário-Liceu.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,6 fev 2019 0:20

Editado porDulcina Mendes  em  16 jun 2019 23:22

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.