ONU "chocada" com execução de 38 jihadistas no Iraque

PorLusa,15 dez 2017 15:49

O Alto-Comissariado para os Direitos Humanos da ONU pediu hoje ao Iraque para "estabelecer uma moratória imediata sobre a utilização da pena de morte", declarando-se "profundamente chocado" com a execução de 38 jihadistas no país.

“Estamos profundamente chocados e consternados com a execução em massa de 38 homens na quinta-feira na prisão de Nassiriya, cidade do sul do Iraque", declarou Liz Throssell, porta-voz do Alto-Comissariado, numa conferência de imprensa em Genebra.

Segundo Throssell, os "38 presos foram condenados por crimes ligados ao terrorismo", mas "é extremamente duvidoso que as garantias de um processo correto e de um julgamento justo tenham sido respeitadas nestes 38 casos".

"Exortamos uma vez mais as autoridades iraquianas a suspenderem todas as execuções, a estabelecer uma moratória imediata sobre a utilização da pena de morte e a realizar um exame completo do seu sistema de justiça penal", afirmou.

O Alto-Comissariado para os Direitos Humanos contabilizou até agora 106 execuções no país desde o início do ano, lembrando que num único dia de Setembro foram enforcadas na mesma prisão 42 pessoas.

Dakhel Kazem, director-adjunto da Comissão de Segurança no Conselho Provincial da região de Nassiriya, anunciou na quinta-feira que "a administração penitenciária executou, na presença do ministro da Justiça, Haidar al-Zameli, na prisão de Nassiriya, 38 condenados à morte pertencendo à Al-Qaeda e ao Daesh (acrónimo árabe do Estado Islâmico) acusados de actividades terroristas".

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lusa,15 dez 2017 15:49

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  23 set 2018 3:22

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.