Lula pede "luta sem tréguas pela democracia"

PorExpresso das Ilhas,5 ago 2018 10:05

Lula da Silva, detido desde Abril, foi designado candidato do PT às eleições presidenciais
Lula da Silva, detido desde Abril, foi designado candidato do PT às eleições presidenciais

Lula da Silva voltou a defender que a democracia no Brasil está sob ameaça porque provavelmente será impedido de concorrer nas eleições presidenciais, marcadas para Outubro

A convenção do PT realizada este sábado, em Brasília, é a primeira, em 38 anos, em que o ex-presidente do Brasil não participa pessoalmente. Por isso, enviou uma carta onde sublinha que a sua candidatura presidencial conduz "a uma luta sem tréguas pela democracia".

"Este encontro nacional do PT talvez seja um dos mais importantes em toda a história do nosso partido. É enorme a responsabilidade que temos pela frente. A decisão de hoje [sábado] vai nos conduzir a uma luta sem tréguas pela democracia, pelo povo brasileiro e pelo Brasil. E a vitória dependerá do empenho de cada um de nós", escreveu Lula, citado pelo Diário de Notícias.

"Há dois anos deram um golpe parlamentar para destituir a Presidente Dilma Rousseff, rasgando a Constituição. Agora querem fazer uma eleição presidencial de cartas marcadas, excluindo o nome que está à frente na preferência popular em todas as pesquisas", disse.

"Já derrubaram uma Presidente eleita; agora querem vetar o direito do povo escolher livremente o próximo Presidente. Querem inventar uma democracia sem povo", acrescentou.

Lula da Silva, detido desde Abril por corrupção, foi designado candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) às eleições presidenciais.

A formalização da candidatura para um terceiro mandato é uma forma de "lidar com um sistema podre", disse a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, ao anunciar a nomeação de Lula da Silva, perante uma assistência de cerca de 2 mil pessoas.

Aos 72 anos, o líder icónico da esquerda brasileira, que governou o país entre 2003 e 201,0 está a cumprir uma sentença de 12 anos de prisão em Curitiba, no Estado do Paraná, por corrupção e branqueamento de capitais no âmbito de um processo relacionado com a operação Lava Jato.

Como o registo da candidatura deverá ser negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por ter sido condenado em duas instâncias da Justiça brasileira, o ex-Presidente deve ser substituído por outro nome do partido. Fernando Haddad ex-presidente da câmara de São Paulo é o mais cotado até agora.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,5 ago 2018 10:05

Editado porJorge Montezinho  em  19 nov 2018 3:22

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.