Lula da Silva julgado hoje em momento decisivo para futuro das presidenciais no Brasil

PorExpresso das Ilhas, Lusa,24 jan 2018 8:01

1

Lula da Silva
Lula da Silva(Nacho Doce/Reuters)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será julgado hoje na cidade brasileira de Porto Alegre, por um tribunal de recurso que, além de analisar o processo, determinará mudanças de rumo nas próximas eleições presidenciais do país.

Líder em todas as pesquisas de intenção de voto já realizadas, o ex-chefe de Estado, em tese, ficará inelegível se a sua condenação de nove anos e meio de prisão pelos crimes de corrupção passiva e branqueamento de capitais for mantida pelos juízes do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4).

Neste caso, o ex-presidente já disse que fará uma campanha informal, prometendo afrontar os adversários ao dizer que a democracia não é plena no Brasil numa eleição em que ele injustamente foi impedido de ser candidato.

Se for absolvido, o Presidente tem hipóteses de vencer e, por isto, a corrida eleitoral tende a tomar um novo rumo porque com Lula da Silva na corrida os grandes partidos de centro e de direita, que hoje comandam o país e estão divididos, tenderão a unir-se em torno de um nome único para o derrotar.

A influência do ex-presidente brasileiro, líder histórico da esquerda no país, e a importância deste julgamento é tal que a sessão será coberta por pelo menos 300 jornalistas, transmitida ao vivo pelo tribunal na rede social Youtube e pela imprensa local.

Fora do tribunal, protestos a favor e contra o ex-chefe de Estado foram marcados em diversas cidades.

O recurso julgado pelo TRF4 pede a anulação da sentença determinada pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelos casos da operação Lava Jato em primeira instância, que considerou Lula da Silva culpado da acusação de receber um apartamento de luxo da construtora OAS em troca de negociar vantagens ilícitas para esta empresa em contractos com a Petrobras.

"Entre os crimes de corrupção e de lavagem [branqueamento de capitais], há concurso material, motivo pelo qual as penas somadas chegam a nove anos e seis meses de reclusão, que reputo definitivas para o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva", escreveu Sérgio Moro em sentença proferida no dia 12 de Julho do ano passado.

Os advogados do ex-presidente alegam que Lula é inocente, que não é dono do apartamento citado no processo e que o juiz Sérgio Moro não deveria sequer ter analisado as denúncias já que elas não teriam ligação directa com os processos da operação Lava Jato.

A defesa também argumenta que Sérgio Moro condenou Lula da Silva, mas não indicou quais os contratos firmados pela OAS com a Petrobras que teriam sido directamente influenciados pelo ex-presidente, e que a sentença é resultado de uma perseguição política.

Seja qual for a sentença proferida pelo tribunal de recursos ela trará mudanças de rumo e das estratégias que serão adoptadas por partidos e candidatos que disputam o poder no Brasil.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,24 jan 2018 8:01

Editado porAndre Amaral  em  18 nov 2018 3:23

1

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.