"Medidas adoptadas por João Lourenço sabem a pouco"- líder parlamentar da UNITA

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,4 jun 2019 14:50

Adalberto Costa Júnior
Adalberto Costa Júnior

A UNITA entende que as medidas de políticas adoptadas por João Lourenço sabem a pouco e não têm impacto na vida real das pessoas. Adalberto Costa Júnior, líder parlamentar da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), considera que a situação social e económica das famílias angolanas piorou .

Em entrevista à última edição do Panorama 3.0, da Rádio Morabeza, Adalberto Costa Júnior, numa avaliação da actualidade do país no pós-JES, fala em excesso de marketing e degradação da situação socioeconómica das famílias.

“Sem dúvida que João Lourenço apareceu com um bom discurso mas usa muito marketing e muitas das realizações esperadas não estão a acontecer. O país de João Lourenço está pior em termos sociais, comparado com o país de José Eduardo dos Santos. Isto é uma tristeza mas é real”, afirma.

Panorama 3.0 #108 - 5G, Jonas Savimbi, Hipertensão

Podcast do programa de grande informação da Rádio Morabeza. Episódio de 31 de Maio de 2019

O aumento do desemprego, da pobreza e da degradação da situação social das famílias angolanas, a crise económica, são alguns dos pontos críticos apontados pelo parlamentar da UNITA, que sublinha que “tanto João Lourenço como os seus ministros foram sempre membros do governo de JES e que, portanto, não estão completamente distantes das responsabilidades da actual situação do país”.

A dívida pública angola continua elevada, numa altura em que a economia não dá sinais de resposta.

Um problema que para o parlamentar da UNITA impede o investimento noutros sectores fundamentais para a geração de rendimento e melhoria da situação de vida da população.

“Temos um grande problema chamado dívida publica. Temos estado a viver de endividamento permanente e que traz depois um serviço da dívida que só neste orçamento ocupa quase 50% da despesa pública. Ou seja, 50% de todas as disponibilidades financeiras do país são para pagar dívidas, créditos do passado, não é para investir em estradas, no desenvolvimento, na economia, na saúde ou na educação”, indica.

Uma das medidas mais emblemáticas do governo de João Lourenço é o repatriamento de capitais. Adalberto Costa Júnior lamenta que até esta altura não seja possível fazer um balanço da lei, sobretudo devido à falta de regulamentação.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,4 jun 2019 14:50

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  21 set 2019 23:22

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.