Irão ataca bases americanas no Iraque

PorExpresso das Ilhas,8 jan 2020 9:35

O Irão lançou mísseis balísticos contra duas bases militares no Iraque, onde estão posicionadas tropas americanas. A avaliação das vítimas e danos materiais está em curso, de acordo com o presidente dos EUA, Donald Trump.

A prometida vingança do Irão pela morte do general Qassem Soleimani, líder da Força al-Quds, unidade de elite dos Guardas da Revolução, já começou. Simbolicamente à hora em que o comandante mais proeminente do Irão foi morto, num ataque com drones ordenado por Trump na passada sexta-feira, foram ao início da madrugada disparados mísseis contra duas bases norte-americanas no Iraque.

Entre as 1h45 e as 2h45 locais de hoje (21h45 e 22h45, de ontem, em Cabo Verde) foram disparados 22 mísseis, de acordo com um comunicado do Iraque. A televisão iraniana fala em 15 mísseis e o Pentágono O Pentágono refere “mais de uma dúzia de mísseis”.

As bases atacadas são Ain Assad (no oeste do Iraque) e Arbil (localizada no Kurdistão iraquiano), ambas utilizadas pelo exército norte-americano.

Apesar da avaliação dos danos e vítimas do ataque ainda estar em curso, fontes iraquianas e americanas referem que não há vítimas mortais.

“Está tudo bem! Mísseis lançados do Irão para duas bases militares localizadas no Iraque. Avaliação das vítimas e danos materiais está em curso. Até agora, está tudo bem”, escreveu Trump na rede social Twitter, pouco depois do ataque.

Teerão fala em 80 mortos.

O presidente americano prometeu mais declarações, hoje, após garantir que os EUA têm “as mais poderosas e mais bem equipadas forças armadas em todo o mundo, de longe”.

De acordo com o comunicado lido pelo porta-voz do Departamento da Defesa norte-americano, Jonathan Hoffman, citado pela agência France-Presse, “está claro que os mísseis foram disparados” a partir de território iraniano.

Esta operação militar iraniana foi designada, de acordo com a televisão estatal do país, de “Mártir Soleimani”. A mesma fonte avança que foi a divisão aeroespacial dos Guardas da Revolução, que controla o programa de mísseis iranianos, que desencadeou o ataque.

Foi a primeira vez que o Irão atacou alvos não terroristas na região. Fê-lo depois de o Parlamento iraniano ter esta terça-feira aprovado, por unanimidade, uma moção a classificar as Forças Armadas dos Estados Unidos como "terroristas". 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,8 jan 2020 9:35

Editado porSara Almeida  em  28 set 2020 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.