Organização Mundial do Turismo prevê crescimento negativo já este ano

PorExpresso das Ilhas,16 mar 2020 14:28

Zurab Pololikashvili, Secretário Geral da OMT
Zurab Pololikashvili, Secretário Geral da OMT

Numa actualização sobre a resposta do sector da aviação ao surto do coronavírus COVID-19, a Organização Mundial do Turismo (OMT) fez uma primeira avaliação que aponta para uma diminuição das chegadas e receitas internacionais em 2020.

“Medidas de saúde pública precisam ser implementadas de forma a minimizar qualquer perturbação des­neces­sária nas viagens e no comércio. Desde o início do surto, a OMT tem trabalhado em estreita colaboração com a Organização Mundial da Saúde (OMS) para garantir que este seja o caso”, refere aquela organização das Nações Unidas.

A OMT reviu as suas perspectivas para 2020 quanto às chegadas de turistas internacionais para um crescimento negativo de 1% a 3%, traduzindo-se numa perda estimada de 30 a 50 mil milhões de dólares em receitas do turismo internacional. Antes do surto da COVID-19, a OMT previu um crescimento positivo de 3% a 4% para este ano.

Esta primeira avaliação espera que a Ásia e o Pacífico sejam a região mais afectada, com uma queda prevista de 9% a 12% nas chegadas. “As estimativas para outras regiões do mundo são actualmente prematuras, tendo em vista a rápida evolução da situação. A OMT sublinha que qualquer estimativa deve ser tratada com cautela e é provável que seja actualizada”, aponta a Organização Mundial do Turismo.

Preparando-se para a recuperação

Na mesma análise, a OMT apela ao “apoio financeiro e político às medidas de recuperação destinadas ao turismo, e à inclusão do apoio ao sector nos planos e acções de recuperação mais amplos das economias afectadas”.

O impacto do surto da COVID-19 será sentido em toda a cadeia de valor do turismo. O Secretário-Geral da OMT, Zurab Pololikashvili, salienta ainda que “as pequenas e médias empresas constituem cerca de 80% do sector do turismo e estão particularmente expostas com milhões de meios de subsistência em todo o mundo, incluindo dentro de comunidades vulneráveis, que dependem do turismo”.

Segundo aquela fonte, os compromissos políticos e financeiros são fundamentais para garantir que o turismo possa liderar uma recuperação económica e social mais ampla, como ficou provado no passado, devido à natureza altamente resiliente do sector e à sua capacidade de recuperar fortemente.

“Nas últimas décadas, o turismo está firmemente estabelecido como um importante contribuinte para o desenvolvimento sustentável, o crescimento económico, o emprego e a compreensão internacional. Como agência da ONU responsável pelo turismo e pelo desenvolvimento sustentável, a OMT está pronta para fornecer orientação e apoio às medidas de recuperação dos seus membros, do sector privado e público do turismo, incluindo os organizadores de eventos e feiras de turismo”, conclui um comunicado da Organização Mundial do Turismo.

Bruxelas apoia sector da aviação

Entretanto, durante a tarde desta terça-feira, a Comissão Europeia anunciou, que vai proceder a alterações tem­porárias das regras comu­nitárias na aviação pelo “tremendo impacto” do surto de Covid-19 no sector, permitindo que as transportadoras mantenham as suas faixas horárias, mesmo que não operem voos.

“A Comissão vai implementar, muito rapidamente, legislação relativamente aos designados slots de aeroporto” - as faixas horárias atribuídas às companhias aéreas para aterrar ou descolar -, divulgou a presidente do executivo comunitário, Ursula von der Leyen.

“Vemos que a situação se está a deteriorar dia após dia e espera-se ainda uma maior queda no tráfego aéreo”, notou Ursula von der Leyen, anunciando que, por isso, o executivo comunitário quer “tornar mais fácil que as companhias aéreas mantenham as suas faixas horárias, mesmo que não operem alguns voos nesses slots por causa da redução do tráfego”.

De acordo com a líder da Comissão Europeia, esta é “uma medida temporária, que vai ajudar não só a indústria, mas também o meio ambiente”.

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 954 de 11 de Março de 2020. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,16 mar 2020 14:28

Editado porSara Almeida  em  2 abr 2020 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.