MSF testemunham execução de civis por tropas etíopes em Tigray

PorExpresso das Ilhas, Lusa,25 mar 2021 7:43

Uma equipa dos Médicos Sem Fronteiras (MSF) testemunhou a execução de civis por tropas etíopes, em Aksum, Tigray.

A equipa dos MSF testemunhou a execução de civis por soldados etíopes que atacaram violentamente o seu motorista, ameaçando-o de morte.

Segundo um comunicado dos MSF, citado pela agência noticiosa France Presse, três membros da organização não-governamental, dirigiam-se na passada terça-feira num veículo, claramente identificado com as cores os MSF, na estrada que liga a capital de Tigray, Mekele, à cidade de Adigrat.

"Durante a viagem, encontraram o que parecia ser o resultado de uma emboscada de um comboio militar etíope por um grupo armado, no qual soldados foram mortos e outros feridos", disse Karline Keijer, responsável dos MSF.

Soldados etíopes no local pararam o veículo dos MSF e em seguida dois miniautocarros de transporte público, e acrescentou Keijer: "Os soldados forçaram os passageiros a saírem dos autocarros. Os homens foram separados das mulheres, que tiveram permissão em seguir. Pouco depois, os homens foram mortos. A equipa dos MSF teve permissão para deixar a área, mas o seu veículo foi parado, novamente, por soldados etíopes.

"Retiraram o motorista do veículo dos MSF, à força, bateram-lhe com a coronha de uma espingarda e ameaçaram matá-lo", contou.

"Entretanto, o motorista foi autorizado a regressar ao veículo e a equipa voltou a Mekele", disse Keijer .

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, ordenou uma ofensiva militar em Tigray no passado 04 de Novembro para derrubar os líderes do partido no poder na região, a TPLF (Frente para a Libertação do Povo de Tigray), que teria desafiado o seu poder por vários meses e que acusou as suas forças de atacar as bases do Exército federal na região.

Prémio Nobel da Paz em 2019, Abiy proclamou o fim do conflito depois do Exército federal ter controlado Mekele no final de Novembro, mas os líderes fugitivos da TPLF prometeram continuar as hostilidades e os combates persistem.

Abiy admitiu na terça-feira que foram cometidas atrocidades em Tigray.

"Houve danos na região do Tigray , as informações indicam que houve estupros e saques de propriedades", segundo depoimentos dos residentes que apontam para violência sexual em larga escala e assassinatos de civis por forças que lutam contra a TPLF.

Abiy admitiu também a presença em Tigray de soldados da vizinha Eritreia, após meses de negação por Asmara e Addis Abeba.

A Comissão Etíope de Direitos Humanos (EHRC) afirmou num relatório, divulgado hoje que mais de 100 civis foram mortos no final de Novembro em Aksum, em Tigray, por soldados eritreus.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,25 mar 2021 7:43

Editado porAndre Amaral  em  26 dez 2021 23:20

pub.
pub.
pub.

pub
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.