Improvável que míssil na Polónia tenha sido disparado a partir da Rússia - Biden

PorExpresso das Ilhas, Lusa,16 nov 2022 8:30

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse, esta quarta-feira, que é improvável que o míssil que atingiu a Polónia e matou duas pessoas tenha sido disparado a partir da Rússia. As investigações iniciais apontam que tenha sido disparado pela Ucrânia para conter um míssil russo.

“Há informações preliminares que contestam isso", disse Biden aos jornalistas quando questionado se o míssil foi disparado da Rússia. "É improvável nas linhas da trajectória que tenha sido disparado da Rússia, mas veremos", acrescentou.

Por outro lado, os líderes do G7 e da NATO decidiram apoiar uma investigação sobre a queda do míssil de fabrico russo, revelou o Presidente dos EUA.

Em Bali, onde Joe Biden se encontra a participar na cimeira do G20, o governante explicou que este acordo foi alcançado "por unanimidade" durante uma reunião de emergência que decorreu esta manhã.

De acordo com a agência de notícias France-Presse (AFP), o encontro realizou-se no hotel Grand Hyatt, em Bali, onde está hospedado Joe Biden.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Polónia confirmou esta noite que um "projéctil de fabrico russo" atingiu o território deste país da NATO junto à fronteira com a Ucrânia, causando a morte a duas pessoas.

"Na vila de Przewodów (...), um projéctil de fabrico russo caiu [na terça-feira], matando dois cidadãos da República da Polónia", salienta-se num comunicado do porta-voz do ministério, Lukasz Jasina.

Na mesma nota acrescenta-se que o embaixador russo na Polónia foi convocado para prestar "explicações detalhadas".

Além de Biden, estiveram presentes no encontro de emergência o chanceler alemão, Olaf Scholz, os primeiros-ministros do Canadá, Reino Unido, Itália e Japão, Justin Trudeau, Rishi Sunak, Giorgia Meloni e Kishida Fumio, respetivamente, e o Presidente francês, Emmanuel Macron.

Também a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, encontram-se no local, informou a Casa Branca.


Disparado pela Ucrânia

Entretanto, de acordo com as investigações iniciais, as autoridades dos Estados Unidos acreditam que o míssil que atingiu a Polónia foi disparado pelas forças ucranianas contra um míssil russo.

Há informações que apontam para que o míssil possa ser um S-300, que estão na posse da Ucrânia e têm como objectivo destruir os lançados pela Rússia, de acordo com o revelado à agência Associated Press por oficiais dos Estados Unidos.

"Três elementos das autoridades dos EUA disseram que as avaliações preliminares sugerem que o míssil foi disparado por forças ucranianas contra um russo para evitar que este atingisse a infra-estrutura eléctrica da Ucrânia nesta terça-feira", diz a AFP.

Estes mísseis, os S-300, são de fabrico russo e estão na posse das forças armadas da Ucrânia desde os tempos da União Soviética.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,16 nov 2022 8:30

Editado porSara Almeida  em  25 jan 2023 23:27

pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.