Papa reitera vontade de mediar as negociações entre Rússia e Ucrânia

PorExpresso das Ilhas, Lusa,18 nov 2022 7:56

O Papa voltou hoje a manifestar o desejo de que a guerra na Ucrânia termine e tornou a dizer que o Vaticano está disponível para fazer todo o possível para mediar o conflito, porque "a paz é possível".

"Sim, tenho esperança. Não vamos desistir, a paz é possível. No entanto, todos se devem comprometer a desmilitarizar os corações (...), para depois desactivar e desarmar a violência. Devemos ser todos pacifistas. Devemos querer a paz, não apenas uma trégua, que pode servir apenas para se rearmarem. A paz verdadeira, que é fruto do diálogo", disse Francisco, numa entrevista publicada hoje no jornal "La Stampa".

O Papa também reiterou que "o Vaticano está pronto para fazer todo o possível para mediar e acabar com o conflito na Ucrânia".

"Estamos constantemente atentos à evolução da situação (...). O secretário de Estado trabalha e trabalha bem, todos os dias, e está a avaliar qualquer hipótese e a valorizar cada abertura que possa conduzir a um verdadeiro cessar-fogo, a verdadeiras negociações. Enquanto isso, estamos comprometidos com o apoio humanitário ao povo da Ucrânia", afirmou Francisco.

O Papa voltou a condenar a guerra e garantiu que "é a ânsia de poder e o comércio de armas" que está por trás de todas estas tragédias.

"Quando os impérios enfraquecem, procuram fazer a guerra para se sentirem fortes e também para vender as suas armas. Três guerras mundiais num século! E não aprendemos!", declarou o Papa.

Sobre o perigo do nacionalismo e do populismo na Europa, para o qual sempre alertou, Francisco confirmou que "se deve estar sempre atento a todos os 'ismos', porque semeiam, com hipocrisia, o mal social e político".

Questionado sobre se é feliz no cargo de Papa, Francisco garantiu: "graças à minha vocação sempre fui feliz nos lugares onde o Senhor me colocou e me enviou. Isso é um serviço e a Igreja pediu-me. Não pensei em ser escolhido, mas o Senhor quis. Então vamos em frente. E faço o que posso, todos os dias, tentando não parar nunca".

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,18 nov 2022 7:56

Editado porAndre Amaral  em  8 dez 2022 23:28

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.