ICCA lança em Maio campanha para identificar famílias de acolhimento

PorExpresso das Ilhas, Lusa,11 abr 2018 6:46

​O Instituto Cabo-Verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA) vai lançar, em maio, uma campanha para identificar potenciais famílias de acolhimento para as crianças dos centros de emergência infantil, anunciou hoje a presidente da instituição.

"Há crianças que estão no centro há mais de cinco anos, crianças que por mais que se trabalhem as famílias não há condições para serem reintegradas. Por isso, vamos lançar a campanha 'Família de Acolhimento', no mês de maio, no sentido de colocar essas crianças", disse Maria José Alfama.

A presidente do ICCA falava hoje, na cidade da Praia, no âmbito de uma visita da representante das Nações Unidas/UNICEF, Ulrika Richardson, ao Centro de Emergência Infantil, onde estão actualmente 34 crianças com idades entre os seis meses e os 15 anos.

Destas, nove estão no centro há vários anos e é para essas que o ICCA pretende encontrar famílias de acolhimento, um processo, que segundo Maria José Alfama, não tem sido fácil.

"Não temos um estudo, mas temos a percepção de que as pessoas não gostam de ser famílias de acolhimento. Querendo ter uma criança, gostaria de ter a criança para adopção. As pessoas inscritas no ICCA, geralmente querem bebés e normalmente as crianças chegam aqui com seis, 10 ou 12 anos", disse.

Maria José Alfama adiantou ainda que decorre um processo de auscultação entre os inscritos no ICCA para perceber se têm disponibilidade para serem famílias de acolhimento e caso não seja possível colocar as crianças elas deverão ser reencaminhadas para as famílias das "Aldeias SOS".

A presidente do ICCA disse ainda que, embora haja picos, a procura pelo Centro de Emergência Infantil da cidade da Praia tem diminuído, tendo passado de 67 crianças em 2017 para as actuais 34.

Durante a visita da responsável das Nações Unidas, foi assinado o plano de trabalho do ICCA para 2018, que inclui, entre outras medidas, a actualização da análise à situação das crianças em Cabo Verde, que data de 2011, bem como um programa de trabalho com os municípios para o reforço da protecção das crianças a nível local.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,11 abr 2018 6:46

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  24 set 2018 3:22

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.