“Cabo Verde precisa de uma lei adequada para os deficientes” - Isabel Moniz

PorDulcina Mendes,29 out 2018 14:52

Existem lacunas e falta de regulamentação na legislação sobre a deficiência em Cabo Verde. Esta afirmação é da presidente Associação de Pais e Amigos de Crianças e Jovens com Necessidades Especiais (Colmeia), na abertura da primeira Conferência Internacional para a Inclusão.

Para Isabel Moniz, Cabo Verde continua a ser muito vulnerável, com grandes fragilidades e com alto nível de desemprego, pobreza persistente e desigualdade.

“O país deve continuar a mobilizar mais meios para apoiar e desenvolver uma estratégia específica para fortalecer a capacidade das famílias com deficiência focando também a abordagem do género”, afirma.

Conforme disse, a Colmeia quer, com estes três dias de conferência, ter resultados que vão ao encontro das expectativas das pessoas com deficiência. “Que a inclusão não seja só com o nome, mas sim que ela seja implementada. Ainda temos lacunas e falta de respostas em uma consulta, temos crianças e pessoas que vivem no interior de Santiago que não pode pagar uma consulta de reabilitação”.

Para o Presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, que fez a abertura da conferência, a inclusão social é um trabalho de hoje, de amanhã e de sempre. “É exigente quanto a recursos e desafios a capacidade de iniciativa e de mobilização da sociedade. Ela só está ao alcance da sociedade com graus elevados de desenvolvimento”.

A abertura da conferência contou ainda com a intervenção do Presidente da Federação Cabo-verdiana de Associações das pessoas com Deficiência (FECAD), António Pedro Melo, da directora-geral da Inclusão Social, Mónica Furtado e do Representante da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mariano Castellon.

Durante esses três dias serão debatidos temas como “Respostas efectivas na Saúde”, “A Reabilitação e a Habitação”, “Política de Educação Inclusiva”, “Educação Inclusiva Contextualização e Intervenção”, “Instrumentos de Promoção de Cuidados”, “Politicas de Acessibilidade” e “O papel das Instituições e respostas e desafios”.

Este evento conta ainda com a presença de decisores políticos e especialistas nacionais e estrangeiros. De acordo com o Censo de 2010, em Cabo Verde existem 104 mil pessoas a viver com algum tipo de deficiência.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,29 out 2018 14:52

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  22 jul 2019 23:22

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.