Reitora da Uni-CV defende papel das universidades na promoção do desenvolvimento territorial

PorSheilla Ribeiro (estagiária),4 set 2019 12:40

A reitora da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), Judite Nascimento, disse hoje que o papel das universidades não deve ser negligenciado na promoção do desenvolvimento territorial.

Judite Nascimento falava os jornalistas à margem da Conferência Internacional sobre a Governança Local e Urbana: tendências, desafios e inovações em um mundo globalizado, promovida pela Comissão de Geografia da Governança da União Geográfica Internacional (International Geographical Union – IGU). O evento, que arrancou hoje, decorre até dia 07, na cidade da Praia.

Segundo a Reitora da Uni-CV, as universidades, para além de formarem quadros em diversas áreas para a gestão e promoção de desenvolvimento territorial, também são fonte de conhecimento científico e da inovação através da investigação.

Judite Nascimento afirmou que a racionalização e uso útil dos recursos do território são palavras-chaves na procura da sustentabilidade. Por esse motivo, as universidades são chamadas a dar o seu contributo.

“Igualmente têm o papel de, com base em evidências cientificamente comprovadas, sensibilizar os restantes actores da sociedade civil, em geral, para a importância da salvaguarda dos princípios subjacentes ao desenvolvimento territorial, socialmente justo e ecologicamente equilibrado”, acrescentou.

Por seu turno, o investigador José Maria Semedo referiu que esta Conferência Internacional sobre a Governança Local e Urbana vai permitir que os investigadores que nela participam conheçam a cidade da Praia, onde, “existem grandes problemas de governança urbana”.

“Durante muito tempo prevaleceu o conceito de que o mundo é rural e que a cidade é uma espécie de cancro, de ferida que aparece. Hoje em dia, já não se aceita esse modelo de análise social”, frisou, acrescentando que a cidade aparece como um centro onde aparecem inovações.

De acordo com José Maria Semedo, o mundo caminha rapidamente para o processo de urbanização e “o homem do século 21 é um homem urbano”.

“Mesmo em Cabo Verde, que não é um país muito desenvolvido, já 60% da população é urbana. É uma tendência que não vai voltar atrás”, prosseguiu.

Conforme afirmou, é nos centros urbanos que aparecem a investigação, a escola, o ensino, as inovações, a produção e o turismo.

“Existe um turismo rural, há turismo de ambiente, mas o turismo é essencialmente urbano a nível mundial e a tendência é cada vez mais urbana. Nas grandes potencias mundiais de turismo, EUA, Alemanha, França Itália e Turquia, Rússia e agora Portugal, o turismo é urbano”, referenciou.

José Maria Semedo defendeu ainda que Cabo Verde deve acompanhar o que acontece a nível mundial.

“Até porque, trazer aqui um dos maiores peritos na área de governação urbana é uma forma de partilha com a Uni-CV e com os investigadores cabo-verdianos. A visão do mundo no contexto actual de governança local”, finalizou.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro (estagiária),4 set 2019 12:40

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  17 set 2019 13:19

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.