PCA da SODIFAR diz que não há nada na lei que impeça a empresa de realizar as suas actividades

PorSheilla Ribeiro,30 dez 2019 14:54

António Maurício dos Santos
António Maurício dos Santos

O Presidente do Conselho de Administração (PCA) da Sociedade Distribuidora de Produtos Farmacêuticos (SODIFAR) disse hoje que a instituição que dirige funciona de acordo com a lei e que não há nada que a impeça de exercer suas actividades, desde que consiga criar as condições necessárias.

António Maurício dos Santos falava à imprensa após um encontro com o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, para apresentar o projecto daquela sociedade distribuidora de produtos farmacêuticos ligada às farmácias nacionais, que pretende vir a desenvolver a actividade de importação e distribuição de medicamentos em Cabo Verde.

Esta afirmação de António Maurício dos Santos surgiu quando comentava um comunicado da Entidade Reguladora Independente da Saúde (ERIS), na qual esta esclarece que o processo de licenciamento da SODIFAR, ainda está em curso, pelo que não se pode dizer ainda que aquela sociedade está licenciada.

“Nós fomos pré-licenciados e a legislação diz que temos um prazo de seis meses para montar os armazéns, ter todas as condições necessárias para o exercício (…) Eles farão a inspecção final e, finalmente, iniciaremos o exercício das nossas actividades”, explicou.

António Maurício dos Santos informou ainda que a SODIFAR vai investir 300 mil contos nesse processo, um investimento, disse, que não fariam sem o pré-licenciamento. O licenciamento final, conforme explicou, será documental e ao nível das instalações.

“Eles vão ver as instalações, se estão de acordo com tudo aquilo que é necessário e se temos toda a documentação e requisitos técnicos necessários para o efeito”, prosseguiu o PCA da SODIFAR, salientando que a sociedade que representa funciona de acordo com a lei e não há nada na lei que a impeça de exercer a sua actividade, desde que consiga criar condições.

Ainda nas suas declarações, António Maurício dos Santos, anteviu que entre Maio e Junho de 2020 a SODIFAR estará em condições de ser, finalmente, inspeccionada para ver se cumpre todas as condições.

Falando sobre a ideia deste projecto, este administrador explicou que a SODIFAR nasceu no momento em que o Estado anunciou que ia privatizar a Empresa Nacional de Produtos Farmacêuticos (Emprofac).

“O entendimento das farmácias é que essa privatização implicaria necessariamente o fim do monopólio na importação e exportação de medicamentos em Cabo Verde”, disse.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,30 dez 2019 14:54

Editado porSara Almeida  em  19 fev 2020 23:20

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.