São Vicente: Marcha com centenas de pessoas para que casos como o incêndio em Pedra Rolada não voltem a acontecer

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,6 jan 2020 8:40

Passeata
PasseataInforpress

A passeata em memória às crianças falecidas num incêndio na zona de Pedra Rolada reuniu este domingo centenas de pessoas que marcharam a pedir “todo o esforço” para que situações do tipo não voltem a acontecer.

Segundo Eneida da Penha, da organização, o principal objectivo da marcha, que partiu na manhã deste domingo de Pedra Rolada, local onde aconteceu o incêndio em uma casa de lata, na madrugada do último dia 01 e que deixou como vítimas mortais três crianças é mostrar que a comunidade está “muito consternada” com o acontecimento.

Por outro lado, conforme a mesma fonte, pedem-se “todos os esforços” das autoridades para impedir que situações do tipo se repitam, inclusive, ajuntou, pedem para se ver a situação dos jovens em relação ao emprego que “ajuda e muito” .

“Por que se tivermos emprego não vamos morar em casa de lata, mesmo se não conseguirmos ter uma habitação própria podemos ter dinheiro para pagar uma renda”, considerou Eneida da Penha, para quem morar numa casa de lata “não é condigno, mas sim é a necessidade que obriga”.

Esta jovem, que esteve à frente da organização da marcha, que reuniu nna manhã de domingo cerca de 700 pessoas, aproveitou a oportunidade para agradecer à comunidade de Pedra Rolada que neste momento “está unida e apoiando as famílias com o que pode” e a mostrar “solidariedade” com a “grande dor” por que passam.

“Espero que a marcha possa ser vista como um símbolo de que, se houver união, podemos conseguir muito”, sublinhou, pedindo às autoridades que olhem pela situação da família que “além de perder tudo, perdeu a vida dos filhos”.

“Isto aconteceu em Pedra Rolada, mas poderia ter acontecido em qualquer zona de São Vicente ou mesmo em outra parte do país”, defendeu Eneida da Penha.

A marcha partiu de Pedra Rolada, com término no cemitério de São Vicente, num clima de muita consternação de familiares e amigos. Alguns dos participante chegaram inclusive a sentir-se mal pelo caminho e durante a cerimónia, no cemitério.

Do incêndio, recorde-se, que terá sido provocado por explosão de uma garrafa de gás, três primos, 03, 04 e 05 anos morreram carbonizados e foram sepultados na manhã de quinta-feira, 01, no cemitério de São Vicente.

Do acidente ainda resultaram quatro feridos, entre estes dois adultos, uma adolescente, que ainda estão hospitalizados, e um bebé de cinco meses, que já teve alta e “passa bem”, conforme Eneida da Penha.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,6 jan 2020 8:40

Editado porSara Almeida  em  25 set 2020 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.