Hospital da Trindade acolhe doentes de COVID-19 psicologicamente afectados

PorSheilla Ribeiro,22 mai 2020 13:29

O hospital da Trindade foi accionado para acolher doentes que se sentiram "descompensados" do ponto de vista psicológico por causa da COVID-19, informou hoje o PCA do Hospital do Agostinho Neto (HAN).

Júlio Andrade fez esta afirmação em conferência de imprensa sobre COVID-19 no Hospital Agostinho Neto.

Quando falava sobre o Hospital da Trindade, o PCA do HAN manifestou satisfação com a “boa evolução” dos doentes, dos trabalhadores e familiares de trabalhadores que estão infectados e que quiseram ficar naquela instalação.

“Tivemos de transferir alguns doentes aqui para os quartos particulares, mas que neste momento já estão recuperados e já regressaram novamente à Trindade. Neste momento já ultrapassamos 14 dias, que é um período muito crítico, em que podem surgir mais complicações, e agora vamos começar a fazer os testes para iniciar a dar alta aos doentes”, disse.

Segundo Júlio Andrade, é preciso pensar nos pós-estado de emergência uma vez que se tem constatado que o país está longe de ter zero casos. Prosseguindo, noticiou que o HAN já tinha apresentado ao ministério da Saúde, em Novembro, um conjunto de processos de normas importantes para o funcionamento dos hospitais centrais e que irão ajudar no pós-emergência.

Questionado sobre o número de doentes que estão, neste momento, no Hospital da Trindade, Júlio de Andrade referiu que estão ali internados 24 doentes e 19 profissionais e familiares.

“Houve doentes infectados com COVID-19 que se descompensaram do ponto de vista psiquiátrico, psicológico nos outros centros e foram para o hospital de Trindade”, revelou.

Relativamente aos profissionais do HAN infectados, o PCA pronunciou que não houve outros casos além daqueles já conhecidos. Estes profissionais, continuou, estão nos centros juntamente com os outros doentes por isso o HAN não tem informações se estão entre os recuperados.

“A contaminação de um profissional de Saúde não é obrigatoriamente no hospital, pode ser na comunidade. Há um conjunto de factores que propiciam e nós consideramos que o profissional da Saúde é vulnerável. Mas, felizmente em Cabo Verde não tivemos falta de equipamento de protecção individual”, garantiu.

Na conferência de imprensa, Júlio Andrade anunciou que o HAN distribuiu máscaras comunitárias aos doentes da diálise, aos doentes oncológicos e a todos os trabalhadores do hospital.

Sobre os casos de COVID-19, Júlio Andrade mostrou-se preocupado com o aumento do número de casos nas crianças e idosos durante o estado de emergência.

“As pessoas deveriam estar em casa e o que nos preocupa neste momento é que estamos a ter crianças, com pouca idade, infectadas, e estão a aumentar o número de infectados de pessoas de idade. Os nossos idosos que estão em casa, pessoas que têm patologias cardíacas, são diabéticos, que têm mais do que uma doença, devem ser protegidas pela família”, apelou.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,22 mai 2020 13:29

Editado porSara Almeida  em  31 mai 2020 8:19

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.