Nove em cada dez cabo-verdianos acreditam que o país vai vencer a luta contra a COVID-19

PorSheilla Ribeiro,19 jun 2020 14:31

Dados do estudo “Conhecimentos, atitudes e práticas sobre a COVID-19 (CAP)” mostram que 87,48% dos cabo-verdianos admitem que o país pode vencer a luta contra a COVID-19.

À margem da apresentação dos resultados do estudo CAP, Maria da Luz Lima, que falava à imprensa, explicou que a pesquisa foi feita a nível nacional durante o mês de Abril, quando o país estava em estado de emergência, daí ter sido feita online.

“Tivemos quase dois mil respondentes e o objectivo é, sobretudo, ter um instrumento que nos orientasse para melhor estratégia de comunicação de risco e envolvimento comunitário”, informou.

De acordo com o estudo, a maior parte dos participantes (76,15%) demonstrou confiança de que o novo coronavírus será finalmente controlado e 87,48% admitiram que Cabo Verde pode vencer a luta contra a COVID-19. Apenas 12,52% não confiam no sucesso do país nessa luta.

Os dados mostram que a maioria dos inqueridos tiveram comportamentos assertivos, 96,49% não frequentaram festas, funerais ou locais lotados e 93,19% confirmaram mudanças de rotinas diárias devido à COVID-19.

“A população que recebeu a maior parte da informação sobre as medidas de prevenção e de controlo foi através da comunicação social, através da televisão sobretudo (69,78%). A população acredita que Cabo Verde vai conseguir controlar a epidemia, acredita nas medidas que estão a ser implementadas pelos profissionais de saúde e pelo Governo de Cabo Verde e têm adoptado posturas adequadas para a prevenção da doença”, disse a presidente do INSP.

Maria da Luz Lima avançou ainda que o INSP planeia fazer um segundo estudo, agora que o país não está em estado de emergência, para desse modo ir às zonas mais remotas, onde a população poderá não ter respondido porque não tem acesso a internet.

Conforme procedeu, o estudo recomenda melhoria da comunicação para que todos possam ter acesso a informação e mostra que a maioria, prefere a utilização da língua portuguesa na transmissão das mensagens.

Após três meses do surgimento do primeiro caso, Maria da Luz Lima diz que o país adoptou as “melhores medidas” que contribuiu para a situação que se encontra hoje.

“Não temos assim um aumento brusco de casos. Houve a situação de Boa Vista, mas normalmente durante esses dias tem havido um aumento muito esperado. Isso para nós é importante porque diz-nos que as medidas estão sendo eficazes”, considerou.

Entretanto, apelou à população a continuar a prevenção, porque, justificou, com a retoma das actividades, têm-se verificado aglomerados de pessoas.

O estudo CAP, foi realizado pelo INSP no âmbito da implementação do Plano de Comunicação de Risco e envolvimento comunitário para prevenção e resposta à COVID-19.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,19 jun 2020 14:31

Editado porSara Almeida  em  16 jul 2020 16:19

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.